PREVIDÊNCIA PRIVADA NÃO É INVESTIMENTO

previdencia-privada-investimento-capa

Infelizmente, posso afirmar que a previdência privada não é investimento e neste artigo vou te explicar os conceitos que vão confirmar isso.

Vejo muitas pessoas que aplicam na previdência privada mensalmente para garantir a aposentadoria no futuro sem conhecer de fato o produto.

Lembre-se que o pior de se aplicar na previdência privada não é agora, mas sim daqui a 30 anos quando você precisar decidir como irá resgatar o seu fundo.

Imagine você com a idade de seu avô tendo que decidir se vai receber uma renda mensal vitalícia ou um montante grande de uma vez. É claro que esse assunto nenhum gerente de banco vai te ajudar.

Previdência Privada e SUSEP

Não sou eu que afirma que a previdência privada não é investimento. É o próprio Sistema Financeiro Nacional.

Diferentemente dos investimentos em ações, que são supervisionados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), e dos bancos e corretoras, que são supervisionados pelo Banco Central do Brasil, a Previdência Privada é supervisionada pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP).

A Susep é responsável pelos seguros, resseguros , títulos de capitalização além da previdência complementar aberta (previdência privada). Veja que podemos considerar a previdência privada mais próxima de um seguro do que do investimento em si.

A maior preocupação de uma previdência privada não é a rentabilidade em si, mas sim em você receber uma renda na sua aposentadoria.

É como um fundo onde você aplica seu dinheiro e na sua aposentadoria você recebe novamente este valor.

As primeiras previdências privadas chamadas de tradicionais te garantiam taxas prefixadas (por volta de 6 %) mais a variação da inflação calculado pelo IGPM. É essa previdência privada que minha mãe abriu para mim e tenho até hoje.

Como as previdências privadas tradicionais estavam dando prejuízo para os bancos e seguradoras, decidiram substituí-la pelos famosos VGBL e PGBL.

O VGBL e o PGBL não possuem uma rentabilidade garantida por contrato e assim ficaram mais lucrativos para os bancos e seguradoras.

Resgate total ou renda mensal

A maior dificuldade ao se aplicar na previdência privada é escolher entre o resgate total ou renda mensal vitalícia no dia do vencimento.

Há uns 3 meses atrás, um amigo médico que está próximo do vencimento da previdência privada me perguntou o que seria o mais ideal. Na época pensei que qualquer uma das opções seria o ideal.

Há 1 semana, em uma palestra sobre tesouro direto e investimentos na livraria Saraiva de Campinas, o palestrante falou uma frase que me fez refletir:

Se você escolher receber a renda mensal, você vai abdicar do seu direito a esse dinheiro e dará ao banco.

Veja nesta entrevista que a sua renda mensal seria como um prêmio de seguro.

Deixe me explicar as duas opções:

Resgate total:

Se você escolher o resgate total, você terá usado seu dinheiro como se fosse uma aplicação em um investimento. O problema é que você paga taxas de administração, taxas de carregamento de entrada e saída, além de receber uma rentabilidade baixa.

Nesse caso, a melhor alternativa seria ter feito uma aplicação em Tesouro IPCA de longo prazo pagando somente 0,3 % de taxa anualmente.

Os fundos de previdência privada também podem ter prejuízo e neste caso você teria que pagar a mais. Veja o caso dos Correios, em que os funcionários terão que pagar pelos erros dos gestores.

Outro problema é o imposto de renda no resgate. Para a previdência privada, se você escolher o regressivo, pagará 10 % no resgate após dez anos, mas se for antes de 4 anos a alíquota chega a ser de 35 %.

Na tabela progressiva, você terá um imposto de 27,5 % (provavelmente seu valor vai ser maior que o teto máximo). Uma curiosidade: se você resgatar antecipadamente na tabela progressiva, você pagaria somente 15 %.

Veja que no caso de uma aplicação de Tesouro Direto, você pagaria 15 % se o seu investimento ficasse pelo menos 2 anos.

Não há dúvidas que para um resgate total, é muito melhor investir diretamente no Tesouro Direto pelo maior controle do investimento, menor taxa de administração e maior simplificação do imposto de renda.

Resgate mensal:

É nessa opção que aparentemente parece melhor que está o perigo. Você pode ser enganado pelo gerente que neste resgate você pagaria menos imposto (se for progressivo, a alíquota pode chegar a zero), mas existe um segredo não divulgado.

Ao assinar o recebimento de renda mensal vitalícia, você automaticamente perde o direito do seu dinheiro e transfere o dinheiro ao banco. Funciona como um seguro de carro. Se você usar tudo bem, mas se não usar perde o direito ao dinheiro.

Uma história

Por exemplo, se você tiver 500 mil reais no dia do resgate. E você decide no dia receber uma renda mensal vitalícia de 4 mil reais. Parece bom né?

Mas caso você sofra um acidente e infelizmente falecer no mês seguinte, todo o dinheiro que sobrar é do banco. Você iria receber somente  4 mil reais em um mês. Os outros 496 mil reais ficam no banco.

Se no seu contrato não estiver escrito com detalhes que a renda pode ser passada para um dependente, seu dinheiro some.

É por isso que é importante a educação financeira. Se você não leu seu contrato ainda, eu te aconselho a ler e deixe um comentário abaixo. Todo o seu investimento pode ser levado sem você perceber.

Percebeu que no fim a previdência privada funciona mais como um seguro do que um investimento. E você pode fazer contas e contas da rentabilidade da sua previdência privada, mas isso não te garantirá a receber o seu dinheiro no futuro.

Então se você achava que sua previdência privada iria te ajudar na sua aposentadoria, estude mais sobre investimentos para não ter o risco de perder todo o seu dinheiro.

Aqui o meu maior conselho seria avaliar seu contrato e verificar o que consta na página sobre renda mensal vitalícia. Se ela será repassada aos dependentes ou não.

Tem aquela história de investir em VGBL para você poder beneficiar seus dependentes em caso de sua morte por não fazer parte do inventário.

Isso é verdadeiro, mas ninguém avisa que se você já estiver recebendo a renda mensal do VGBL, você não poderá repassar nada a seus dependentes se não estiver escrito no contrato.

Estratégia para sua Previdência Privada

Muita gente aplica na previdência privada porque acha que vai ter uma renda mensal garantida na aposentadoria. Agora você aprendeu que não é tão simples assim.

O ideal é você aprender a fazer dos seus investimentos uma forma de ter fluxo de caixa mensal como o artigo do Vitor ensina.

Você não pode esperar até estar com seus 70 anos para aprender a investir de forma prática. Se você começar hoje, você terá melhor resultado.

Se você já tem um plano de previdência privada, leia com atenção o contrato sobre a renda mensal no resgate. Veja os direitos de seus dependentes.

No caso de ser um plano regressivo:

Não vale a pena resgatar se não tiver com 10 anos de aplicação. O imposto de renda é muito cruel e os bancos e as seguradoras fazem isso para manter os clientes pagando mensalidade por 10 anos.

Uma alternativa é avaliar a portabilidade do plano para um com melhor rentabilidade e menor taxa de administração.

No caso de ser um plano progressivo:

Avalie a rentabilidade e a taxa. Se a rentabilidade for menor que a aplicação direta no tesouro direto e a taxa maior que 1,0 %, resgate antecipadamente para pagar somente 15 % de imposto de renda (consulte antes as regras sobre o imposto de renda e confirme que pagará somente isso mesmo).

Conclusão

previdencia-privada-investimento-01
A previdência privada não é investimento. É somente uma forma de assegurar que você tenha uma renda no futuro, mas com muitos detalhes explicados no artigo.

Podemos dizer que seria como um seguro de vida em que o banco ganhará se você falecer mais rápido.

Mesmo a previdência privada parecendo simples, você precisa saber de detalhes importantes do seu contrato:

É VGBL ou PGBL? Regressivo ou progressivo? Taxa de administração e taxa de carregamento? Rentabilidade? Portfólio? Renda mensal para dependentes?

Se quiser, faça uma colinha dessas perguntas e vá falar com seu gerente do banco.

A melhor alternativa é aprender a investir com o Jornada do Dinheiro e escolher os próprios investimentos. Controlar o fluxo de caixa dos investimentos é muito importante para seu futuro.

Deixe nos comentários suas dúvidas sobre previdência privada!

Edson Ichihara