CONTROLE OS RISCOS DE SEUS INVESTIMENTOS

risco_destaque

Controle os riscos de seus investimentos

No começo dos investimentos, após superar o medo de abrir uma conta em uma corretora surge outra dúvida: investir no Tesouro Direto ou nos títulos privados de bancos menores (CDB, LC, LCA ou LCI).

riscos_01

Acima está as opções de LCA da Easynvest no dia 25 de outubro de 2015.

Para te ajudar nessa questão, vou fazer um artigo sobre o que é risco e como administrá-lo e no final vou te ensinar um passo a passo simples para facilitar sua decisão.

Tudo em nossa vida possui risco e cabe a nós gerenciar isso. Como médico, sempre balanceio os riscos e benefícios de um tratamento para cada paciente. Nos investimentos, há algumas regras que podem te ajudar nessa tarefa.

Tipos de risco

Há várias classificações de risco e o mais usado é o que separa o risco não sistemático e risco sistemático.

O risco sistemático é o que afeta o sistema inteiro, e não conseguimos controlá-lo. É o risco de o país inteiro quebrar ou uma crise mundial. Não vale a pena discutir esse risco porque não temos como evitá-lo.

O risco não sistemático é o risco que cada ativo possui e fica mais fácil de entender quando dividimos em cinco partes: risco de crédito, risco de mercado, risco operacional, risco legal e risco de liquidez.

O risco legal é o mais fácil de ser administrado. Se você fizer algum procedimento ilegal, como os políticos pegos na Lava Jato, você está arriscando seu dinheiro e até sua liberdade. Tenho certeza que você leitor do Jornada do Dinheiro não se envolverá nessa situação.

O segundo risco a ser administrado é o risco de liquidez. Em poucas palavras, significa como o ativo que você possui pode ser transformado em dinheiro. Se você possui um imóvel físico, mas não conseguir vendê-lo, você terá um sério problema de liquidez. Faltará o fluxo de caixa para você pagar suas dívidas. Quando você investe nos títulos privados com resgate somente no vencimento, você tem um problema de liquidez caso necessite do dinheiro antes.

O terceiro risco que podemos controlar é o risco operacional. Com a modernização da internet e aumento da segurança online, conseguimos controlar esse risco. Ele está relacionado ao erro, fraude e tecnologia defasada. Sempre confiro minhas compras antes de concluir para evitar um erro de digitação e utilizo corretoras confiáveis para evitar fraude.

O quarto risco é o mais difícil de um investidor iniciante entender. Estou falando do risco de mercado que depende de fatores externos como taxa de juros, taxa de câmbio e preços dos ativos (ações e commodities). Este risco depende do comportamento dos preços. Quando você fica na dúvida em comprar o Tesouro Prefixado, você na verdade está preocupado com o risco de um aumento de juros. A análise gráfica das ações é um estudo que vai te ajudar a diminuir esse risco de mercado.

riscos_02

Acima, gráfico de velas do dia 23 de outubro de 2015 do BBAS (Banco do Brasil).

Vou fazer um estudo mais detalhado do risco de crédito. A diversificação dos ativos vai te ajudar a controlar este risco. Ele está relacionado à possibilidade de não recebimento do pagamento do seu título. Um estudo da situação econômica da contraparte (representado pelo país, no caso de título público federal, pelos bancos, no caso de título privado como CDBs, ou pelas empresas, no caso de debêntures) é muito importante para diminuir esse risco de calote por falta de crédito.

Risco de crédito nos bancos

Você pode estar pensando que utilizando os ratings internacionais você pode ter a tranquilidade de investir em bons pagadores. Esse pensamento é errado porque, em 2008, na pior crise econômica desse século, a Moody´s e a Fitch classificaram o Banco Lehman Brothers em AAA(A1). E o que aconteceu depois você sabe: o banco decretou falência pela crise dos subprimes. A conclusão desse fato é: a mídia fala tanto desses ratings mas, na verdade, essas agências perderam a credibilidade depois da crise de 2008.
Não se preocupe, pois você poderá utilizar outros dados para analisar a situação econômica dos bancos.

Quando você vai emprestar seu dinheiro para um conhecido, qual das duas pessoas você prefere: o seu amigo que possui um fluxo de caixa constante (seja através de um emprego ou de uma empresa) sem dívidas ou aquele seu amigo que não gosta de trabalhar e tem mais dívidas que todo mundo que conhece?

Garanto que a maioria preferiu escolher o primeiro amigo. Mas nesse momento temos outro problema: como saber se a pessoa está com dívidas? Podemos fazer uma triagem com aqueles que são obrigados a mostrar seus dados financeiros.

É nesse momento que vou te dar uma dica: entre os bancos, prefira os que possuem capital aberto. Pelo menos você terá maior transparência sobre sua atual situação econômica. Para facilitar, vou dar a lista dos bancos com capital aberto:
Alfa Holdings (RPAD), Banco Est. Espirito Santo (Banestes – BEES), Banco ABC Brasil (ABCB), Banco Alfa de Investimento (BRIV), Banco Amazonia (BAZA), Banco Bradesco (BBDC), Banco do Brasil (BBAS), Banco BTG Pactual (BPAC), Banco Daycoval (DAYC), Banco Estado de Sergipe (BANESE – BGIP), Banco Estado do Para (BPAR), Banco Estado do Rio Grande do Sul (BRSR), Banco Industrial e Comercial (BICB), Banco Indusval (IDVL), Banco Mercantil de Investimentos (BMIN), Banco Mercantil do Brasil (BMEB), Banco Nordeste do Brasil (BNBR), Banco Pan (BPAN), Banco Patagonia (BPAT), Banco Pine (PINE), Banco Santander (SANB), Banco SOFISA (SFSA), BRB Banco de Brasilia (BSLI), Consorcio Alfa de Administração (BRGE), Banco Itau Unibanco Holding (ITUB), ITAUSA Investimentos ITAU (ITSA) e Paraná Banco (PRBC).
São 27 instituições que são obrigadas a ter um nível de transparência nas suas contas (demonstrações financeiras) por estar listado no mercado de capitais aberto da BMF & Bovespa.

Passo a Passo para você comparar os bancos

Tenho certeza que você está pensando: qual o motivo para me preocupar com isso se tenho a garantia do FGC?
Primeiro, caso uma instituição financeira decrete falência, você terá perda de liquidez do seu investimento porque o FGC pode demorar um tempo até restituir seu dinheiro. Apesar de receber o investimento e a rentabilidade até a falência, esse tempo de demora de restituição ficará sem rentabilidade.
Segundo, eu gosto de saber para quem estou emprestando dinheiro. Quando empresto dinheiro ao governo através de títulos públicos federais, eu sei que o dinheiro vai para o governo brasileiro. Eu gostaria que fosse melhor utilizado em educação, saúde e infraestrutura, e infelizmente não tenho esse controle. Porém, eu prefiro emprestar o dinheiro ao governo do nosso país do que emprestar ao governo da Argentina ou Venezuela (acredite, mas a previdência dos Correios emprestaram parte do dinheiro da aposentadoria dos funcionários para estes países).

Agora que já te expliquei o por quê da importância de conhecer os bancos, vou te ensinar um passo a passo rápido.

Prefira os bancos da lista acima porque eles possuem capital aberto. Entre esses bancos, você poderá comparar os resultados financeiros.

Utilizando o excelente aplicativo Renda Fixa do Francis Wagner, vou escolher o banco com a melhor taxa de LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) do Banco ABC Brasil (LCA de 98 % CDI através da corretora Órama). Como um banco controle, vou escolher o Banco do Brasil que oferece um LCA de 84 %.
Para consolidar mais seus conhecimento, vou comparar o LCI (Letra de Crédito Imobiliário) do Banco Indusval (LCI de 96% CDI através da corretora Clear) e o Banco do Brasil com LCI de 80 %.

Conforme aprendi na aula de Governança Corporativa do meu MBA de Mercado de Capitais, uma maior classificação da instituição em relação à Governança Corporativa sugere uma empresa preocupada com a transparência de sua gerência em relação aos acionistas minoritários. Neste quesito, o Banco do Brasil está situado no Novo Mercado, com somente ações ordinárias (tag along 100%). O Banco Indusval e o Banco ABC possuem classificação Nível 2 de Governança Corporativa, possuindo ações preferenciais e ações ordinárias (tag along 100 % para os dois).

Agora vamos analisar alguns aspectos econômicos dos bancos. Nesta página você vai encontrar a lista das empresas do BM&F Bovespa. Utilize sempre a página oficial da BM&F Bovespa para essas análises.

Para não te influenciar numa decisão, vou colocar abaixo duas demonstrações e decida qual seria a melhor:

RISCO_03

Veja que o Patrimônio Líquido foi de R$ 675.935.000 para R$ 537.645.000 , a Receita de Intermediação Financeira foi de R$ 263.795.000 para R$ 261.168.000. O prejuízo foi de R$ -8.719.000 para R$ -141.331.000

RISCO_04

Agora este outro Banco apresentou um aumento do Patrimônio Líquido de R$ 69.820.212.000 para R$ 71.944.144.000, Receita de Intermediação Financeira foi de R$ 5.565.190.000 para R$ 8.606.461.000 e houve aumento de Lucro de R$ 5.565.190.000 para R$ 8.606.461.000.

Há muitos outros dados para se analisar como Índice de Eficiência, Índice de Basiléia e Margem Bancária. Mesmo assim, qual dos dois bancos você gostaria de emprestar seu dinheiro suado?
Com uma rápida análise, concluímos que: o primeiro banco é menor (Patrimônio Líquido menor) e está aumentando seu prejuízo. Com certeza, este banco tem maior risco de crédito que o outro

O primeiro banco é o Banco Indusval e o segundo banco é o Banco do Brasil. Por ter um maior risco de crédito, o Banco Indusval oferece melhores taxas. Cabe a você escolher se essa maior taxa compensa o risco ou não.

O último dado é o do Banco ABC:

RISCO_05

Ele apresentou um aumento do Patrimônio Líquido de R$ 2.188.545.000 para R$ 2.335.202.000, aumento da Receita de intermediação Financeira de R$ 682.349.000 para R$ 1.580.905.000, além de um aumento do lucro de R$ 150.474.000 para R$ 170.456.000.
Mesmo sendo um banco menor, investir no Banco ABC parece muito menos arriscado que no Banco Indusval. Nesse caso, a maior taxa do Banco ABC não indicaria um aumento de risco tão grande como em um investimento no Banco Indusval.
Poderíamos continuar com uma análise mais detalhada das demonstrações financeiras (balanço patrimonial e Demonstração de Resultados), mas neste artigo o objetivo foi mostrar o risco de crédito entre as instituições financeiras. Futuramente em outros artigos faremos uma análise mais detalhada.

Agora perca o medo de investir!

Neste artigo você aprendeu os tipos de riscos de cada investimento. Conhecendo os riscos antes de colocar o seu dinheiro vai te ajudar a ter melhores resultados.
No caso específico do risco de crédito temos que estudar a situação econômica e financeira da empresa ou do banco.

Como os bancos de capital aberto possuem maior transparência no seus dados, você poderá começar com a análise deles para decidir seus investimentos em renda fixa. Escolha os que possuem maiores lucros. Utilize a página da BM&F Bovespa para esta análise.
Vou colocar mais três dicas bônus: se não confiar no banco emissor, decida por um vencimento menor; diversifique os seus investimentos e coloque uma quantidade menor que R$ 250 mil para ter a garantia do FGC.

Edson Ichihara

  • Anderson Henrique Chaves

    Fala Edson.
    Artigo muito esclarecedor. Eu nunca havia me atentado para olhar a saúde financeira da minha corretora. Confesso que fiquei apenas bem tentado à ideia de oferecer taxa 0 para tesouro direto (easynvest) e 0 corretagem para fiis (socopa). Vou procurar saber melhor sobre a saúde financeira dessas corretoras após ler o teu artigo.

    As vezes é melhor pagar um pouco a mais de corretagem e custódia em um banco que tenha mais segurança e não esteja tão endividado.

    Quanto a questão da escolha de títulos / ativos por meio de bancos menores, acabei optando por ficar no tesouro direto mesmo, embora haja bancos que paguem um cdb de 110% 115% do cdi, prefixados de 17, 18%. Porém eu penso que é mais válido eu investir com mais segurança por meio do TD recebendo uma quantia um pouco menor, mas procurando uma maneira de aumentar o meu aporte.

    Um grande abç e bons investimentos!

  • Edson Ichihara

    Olá Anderson! Obrigado pela mensagem! É bom sempre estar atendo a saúde financeira dos emissores dos nossos investimentos! Em relação as corretoras, como os ativos ficam na BM&F Bovespa com seu numero de CPF e vc consegue transferir a custódia para outra corretora, vc pode ficar mais tranquilo. Mas sempre veja na página do CEI/BMF e na página do Tesouro Direto para verificar se seus títulos estão no seu CPF. Eu tb prefiro investir no Tesouro Direto e aumentar o aporte, mas como vi que muita gente gosta de investir nos bancos menores fiz esse artigo para ajudá-los! Muito obrigado por sempre participar no nosso site!

  • Anderson Henrique Chaves

    Fala Dr. Pois então, a questão dos titulos em meu nome já fico mais tranquilo. Só evito mesmo a tentação de investir nesses ativos que pagam bem mais do que 1%a.m. pq como disse, prefiro pensar em como eu poderia aportar mais para compensar essa diferença, mas em ativos mais seguros. Questão pessoal mesmo, sinto-me mais confortável dessa maneira.

    grande abç e bons investimentos

  • Edson

    Olá Edson!
    Estou pensando em investir no Banco Sofisa Direto, fiz as pesquisas e utilizei o seu post de referencia para escolha do banco, alem disso verifiquei a classificação de risco, no qual está como risco baixo. O banco Sofisa está com LCI a 95% do CDI para 2 ano! Gostaria de saber o que você acha deste banco, é confiável?
    Abs

  • Edson Ichihara

    Olá Edson, obrigado pela mensagem. Eu estou testando o banco Sofisa e considerei um bom banco de investimentos. Pode colocar parte dos seus investimentos nela. Há também o CDB 100 % CDI com liquidez diaria. Bons investimentos.