É CRISE? INVISTA EM LIQUIDEZ

INVISTA EM LIQUIDEZ

É crise? Invista em Liquidez

Você já deve estar cansado de ler que estamos em crise, mas gostaria de apresentar aqui uma estratégia para que você contorne a crise como se nada estivesse acontecendo.

Sempre lemos por aí sobre diversas estratégias: buy & hold, daytrade, alocação de ativos, investimentos em bens físicos, hedge.

Cada uma dessas estratégias funciona bem dentro do perfil, do conhecimento e dos objetivos de cada investidor.

No entanto, há uma forma de investir ainda muito subestimada por alguns especialistas do mercado, que é a de investir em ativos com liquidez.

O que é liquidez?

Liquidez é o movimento contrário do investimento.

Quando investimos, significa que pegamos nosso dinheiro e transformamos em ativos, ou seja, em bens.

Quando queremos transformar esses ativos de volta em dinheiro, temos o processo de liquidação, ou seja, a liquidez é a capacidade de um ativo ser transformado em dinheiro.

Qual a importância da liquidez?

Se a liquidez é a capacidade de transformar um ativo em dinheiro, ela é importante para quando você precisa de dinheiro.

Vamos supor que você invista em um CDB com vencimento em 2018 e sem liquidez. No entanto, você quer viajar no meio do ano de 2016.

Se o CDB só puder ser resgatado no vencimento e é seu único investimento, como conseguirá pagar a viagem?

Quais são os ativos com boa liquidez?

Quando falo em ativos com liquidez, gosto de ter ativos com liquidez diária, que são os que posso solicitar resgate a qualquer dia, e também há ativos com vencimentos curtos, de até 3 meses.

As opções que conheço atualmente são:

INVISTA EM LIQUIDEZ

Para efeito de comparação, lembre-se que LCI e LCA são isentas de imposto de renda.

Resgate em D+0 significa que você consegue sacar o dinheiro no mesmo dia que solicita o resgate, enquanto resgate em D+1 significa que o dinheiro estará disponível no dia seguinte.

Carência é o tempo mínimo que você precisa manter o investimento para que ele possa ser resgatado.

Apenas nesses listados já há várias opções para que você não desperdice seu dinheiro parado na poupança.

Caso não consiga resgatar de um desses investimentos imediatamente (como a poupança permite), é até preferível pagar os juros do cheque especial por 1 dia (enquanto não recebe o valor resgatado do investimento) do que deixar 20 anos seu dinheiro perdendo poder de compra na poupança.

Por que investir em liquidez durante a crise?

Na crise, estamos sujeitos aos mais variados tipos de imprevistos, desde a perda de emprego até aumentos bruscos e repentinos nas contas do dia a dia.

Por outro lado, a crise também abre grandes oportunidades: muitas empresas fechando as portas significa menos concorrência; fuga em massa da bolsa de valores significa ótimos ativos com preços muito descontados; excesso de oferta de imóveis significa poder de barganha para negociar compra ou aluguel.

Todos esses casos podemos resumir com a célebre frase “money is king”, ou seja, o dinheiro é quem manda. Quem tem dinheiro está com o poder em mãos.

Portanto, investir em ativos que propiciem uma liquidez diária ou vencimentos curtos (entre 1 a 3 meses) pode dar a você grandes vantagens para os seguintes objetivos:

– Manter a reserva de emergência
– Conquistar objetivos de curto prazo
– Utilizar como capital de giro
– Abrir um novo negócio
– Aproveitar para comprar ativos com desconto
– Barganhar em negociações com imóveis

Vejamos agora em detalhes como funcionaria esses investimentos em liquidez para cada um desses objetivos.

1) Manter a reserva de emergência

Embora alguns especialistas defendam que reserva de emergência deve ser mantida na poupança para liquidez imediata, discordo totalmente.

Imagine manter um valor de R$ 20.000,00 na poupança durante 10 anos?

Quanto isso poderia render em um simples Tesouro Selic? No artigo “Como montar sua reserva de emergência”, mostro as diferenças exorbitantes ao se comparar a poupança com o Tesouro Selic.

Caso haja realmente uma emergência, normalmente é possível ao menos aguardar um dia para reaver o dinheiro. Em casos extremos, você pode utilizar o cheque especial por 1 único dia enquanto não cai o resgate da sua reserva de emergência. Os juros que serão pagos desse 1 dia nem se comparam com a rentabilidade que você perderia mantendo na poupança.

Hoje em dia, com a liquidez diária do Tesouro Direto e de tantas outras opções de bancos, não vejo motivo nenhum para utilizar a poupança.

2) Conquistar objetivos de curto prazo

Vamos supor que você queira fazer uma viagem daqui a 4 meses ou, por exemplo, está aguardando o verão terminar para comprar roupas leves em liquidação, mas não sabe quando estarão com preços melhores.

Os investimentos com liquidez diária são excelentes para você manter esse valor investido enquanto aguarda a data da sua viagem ou mesmo quando não tem uma data definida para determinado objetivo que você deseja conquistar dentro de poucos meses.

3) Utilizar como capital de giro

Quando menciono esse uso para outras pessoas, alguns me olham achando que sou louco.

Não ligo. Sou louco mesmo e valorizo cada centavo que ganho.

Logo que recebo meu salário ou qualquer outra renda, já invisto imediatamente todo o montante.

Procuro concentrar todos os meus gastos no cartão de crédito.

“Esse cara é louco mesmo. Primeiro diz para usar cheque especial, e agora está indicando cartão de crédito… vou parar de ler agora!”

Antes de você fechar e partir para fazer outra coisa, tenho bons argumentos para defender minha ideia.

Ao utilizar o cartão de crédito, estou adiando o pagamento dos meus gastos. Com isso, consigo deixar meu dinheiro rendendo por mais tempo e utilizo parte desses rendimentos para pagar a fatura.

Quando é possível parcelar em várias vezes sem juros, não penso nem duas vezes. Jogo sempre no prazo mais longo que não incida juros, porque assim travo um pagamento de valor mais baixo, enquanto meu dinheiro rende e sendo que aquele valor que estarei pagando mais adiante estará com poder de compra menor por causa da inflação.

Portanto, deixei meu dinheiro rendendo e ainda paguei, em termos de poder de compra, menos do que se tivesse pagado à vista.

A única exceção é se for oferecido um desconto à vista. Nesse caso, normalmente é vantajoso pagar à vista caso o desconto seja de pelo menos 5%.

Também devo frisar a importância de sempre pagar a fatura até a data de vencimento. Caso contrário, de nada terá adiantado ganhar os juros em uma ponta para pagar na outra.

Outra vantagem do cartão de crédito é poder acumular pontos para converter em passagens aéreas.

Deixo um pouco de dinheiro em espécie na carteira para eventuais lugares que não aceitem cartão ou para tentar barganhar um desconto.

Leia o artigo “Cartão de crédito: meu grande amigo” para saber mais como otimizo o uso do cartão.

4) Abrir um novo negócio

Em época de crise, muitas empresas acabam fechando as portas por não conseguirem gerar lucro consistente.

Além disso, as poucas empresas que permanecem de pé acabam cortando custos da área de marketing e publicidade.

Isso abre grandes oportunidades para entrar em um mercado com pouca concorrência e que pouco aparece porque não faz divulgações.

É claro que abrir uma empresa e manter a competitividade dela não é nada fácil, especialmente na crise, mas aqueles que tiverem conhecimento e persistência para fazer dar certo têm uma chance de ouro nesse cenário.

5) Aproveitar para comprar ativos com desconto

Quem estiver posicionado em investimentos com liquidez quando a economia ou alguma mudança política indicar que possa colocar o país nos eixos terá grandes oportunidades para comprar ações e fundos imobiliários com descontos excelentes.

Do ano passado para cá, esses investimentos de bolsa de valores despencaram por vários motivos, desde políticos até econômicos.

Alcançamos patamares de níveis históricos na bolsa (negativamente falando). Temos excelentes empresas e fundos valendo metade ou até menos de seu valor patrimonial.

É claro que devemos ter cautela, pois esses investimentos podem cair ainda mais. Não há nada que indique uma recuperação deles ainda.

Por isso, é preciso ter paciência e manter recursos disponíveis em investimentos com liquidez para poder aproveitar na hora certa.

6) Barganhar em negociações com imóveis

Para quem tem o sonho da casa própria, podemos estar diante de uma grande oportunidade.

Quem poupou e manteve investimentos com liquidez agora tem grande poder de barganha em mãos.

Pode chegar para o proprietário do imóvel e oferecer uma grande entrada pedindo desconto. Quem guardou ainda mais talvez até possa comprar um imóvel à vista com um desconto ainda maior, porque o proprietário às vezes precisa do dinheiro e acaba vendendo muito mais barato do que deveria.

O mesmo vale para quem mora de aluguel. Está com a faca e o queijo na mão.

Peça um desconto no valor do aluguel, que provavelmente o proprietário terá que aceitar. Caso ele negue, você poderá encontrar aluguéis por valores muito mais baratos do que encontraria até o ano retrasado, por exemplo.

O mercado imobiliário está sofrendo demais. Diversos imóveis prontos e sem demanda. Muitos proprietários que compraram para revender ou alugar estão com imóveis parados e gerando despesas.

Quem souber barganhar conseguirá negócios espetaculares.

Acabou a crise, e agora?

“Excelente, aproveitei os benefícios da liquidez para fazer excelentes negócios! E agora que a economia já estabilizou? Hora de continuar comprando bons ativos?”

Na minha opinião, não.

Depois que a crise passou, os bons investimentos começam a ficar com preços mais justos ou até muito caros.

Por isso, se você continuar comprando, acabará pagando mais do que deveria. É como ir ao shopping nas vésperas do Natal. Todos comprando muito, e os vendedores elevando muito os preços, pois as pessoas precisam comprar os presentes de qualquer maneira, não é?

No entanto, nos investimentos, você tem a possibilidade de escolher comprar sempre na promoção.

Quando a economia estiver estável, aproveite para começar a acumular novamente em ativos com liquidez, já se preparando para a próxima crise que inevitavelmente virá.

Há investidores que defendem com unhas e dentes que você deve continuar comprando os ativos de valor, independentemente do preço. Porém, você não acha muito melhor comprar esses mesmos bens por preços muito menores?

Eu gosto de desconto, e você?

Deixe um comentário se você também segue a estratégia de investir em liquidez ou, se discorda do que elenquei aqui, também gostaria de ler sua opinião para enriquecermos o debate.

Não deixe também de se inscrever gratuitamente no Mini-Curso Tesouro Direto, agora todo em vídeo!

Grande abraço!

Vitor Hernandes

  • Paulo Alvarenga

    Parabéns pelo artigo e obrigado pelas dicas.

  • Rodrigo Campos

    Ótimas dicas Vitor, abriu minha mente sobre parcelamento e adiar pagamentos. Sempre paguei tudo a vista, mesmo não tendo desconto, pois não via muita diferença entre pagara agora e depois. Com essas opções de liquidez minha ideia sobre o parcelamento mudou.

    Aproveitando, uma pergunta. Você investe no mercado fracionário? Vale a pena comprar frações de ações, pensando a longo prazo e com aportes periódicos, considerando o valor da corretagem? Ou é melhor deixar pra comprar apenas quando tiver grana para um lote?

  • Valeu, Paulo! Fico feliz que tenha gostado!

    Você já está no nosso grupo de discussão no Facebook?
    https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Grande abraço!

  • Fala, Rodrigo!

    Sim, muitas pessoas preferem pagar tudo à vista para ficar com a consciência tranquila de que não tem dívidas ou até por medo de perder o controle de quanto gastou.

    O que podemos fazer nesse caso é comprar parcelado mesmo tendo o dinheiro à vista, mas imediatamente investir o dinheiro restante e reservá-lo somente para quitar aquele bem comprado. Assim, não corremos o risco de chegar a fatura e não termos como honrá-la. São ganhos pequenos, mas, de pouco em pouco e aplicando para várias compras que fazemos, acumulamos uma quantia cada vez maior.

    Quanto ao mercado fracionário, eu prefiro comprar o lote completo justamente por causa da corretagem e também porque às vezes os preços ficam muito diferentes no fracionário. Mas isso é questão pessoal mesmo. Tem gente que gosta de comprar um pouco todo mês. Eu já procuro investir quando acho que o preço está bom, porque acho impossível aquela ideia de aportar todo mês no mesmo ativo.

    Você já está no nosso grupo de discussão no Facebook? Podemos discutir mais ideias lá também:
    https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Espero ter ajudado!

    Grande abraço!

  • Rodrigo Campos

    Obrigado Vitor!

    Entrei no grupo do Facebook.

    Abraços!

  • Ótimo artigo.

    Estou indicando a mesma coisa para todos os meus colegas.

    Estamos na hora de ficar com o dinheiro “na mão”. É nessa hora que as oportunidades aparecem.

    Recomendo o CDB Sofisa.

    Abraços.

  • Valeu, Ludyson!

    Em tempos de crise, quem tem dinheiro na mão dita muitas regras. Para negociar, não adianta ter muito dinheiro mas estar todo preso em ações ou imóveis, pois não se vende com tanta facilidade.

    É importante sim manter parte do patrimônio intacta, mas também ter investimentos com liquidez!

    Você já está no nosso grupo de discussão do Facebook? Entre lá para discutirmos mais sobre isso e outros assuntos relacionados:
    https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Grande abraço!

  • Vinícius

    A título de informação: atualmente o CDB de liquidez diária do Banco Intermedium possui investimento *inicial* mínimo de 1k e o resgate agora é D+0 sem carência.

  • Fala, Vinícius!

    Obrigado pelas atualizações!

    Grande abraço!

  • Giovanni Rodrigues

    Boa noite, Vitor

    Conheci hoje seu excelente blog!

    Sem perceber, desde outubro do ano passado estou usando a mesma estratégia deste presente post. De outubro de 2015 a março de 2016 comprei o máximo possível de renda variável (fundos imobiliários e ações) a preços baixos. Agora que os preços estão esticados, desde abril deste ano estou recompondo meus investimentos em liquidez (Sofisa DI), segurando o que comprei (e recebendo bons dividendos) e esperendo a próxima crise para comprar forte novamente e acelerar a minha independência financeira.

    Gostei muito de seu blog e me identifiquei muito com esse post.

    Abraços
    Gio

  • Fala, Giovanni!

    Muito obrigado pelas palavras! Legal que você já utilizava a estratégia!

    Participe também do nosso grupo no Facebook: https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Grande abraço!