OS 5 ERROS QUE ME FIZERAM PERDER 70% NA BOLSA DE VALORES

prejuizo_bolsa_de_valores

Os 5 erros que me fizeram perder 70% na bolsa de valores!

Quem nunca cometeu um erro e ficou pensando “e se eu tivesse feito diferente…”?

No entanto, quando dizem que é com os erros que se aprende, estão corretíssimos.

Que tal então aprender com os erros dos outros, sem você precisar errar por conta própria? Esse seria o melhor dos mundos.

Agora você saberá quais foram os 5 erros que me fizeram perder 70% do que eu tinha na bolsa de valores.

Meu início no mundo dos investimentos

Devido à minha personalidade, sempre fui muito consciente com os gastos e tinha a disciplina de poupar parte do que eu ganhava como estagiário, sempre “investindo” na poupança.

Eu era o típico “mão de vaca”. Comprava somente o que precisava ou realmente queria e, morando com os pais, não tinha muitos gastos. Portanto, o baixo salário do estágio me permitia poupar alguma coisinha todo mês.

Era cerca de 2010. Meu pai, que já investia há alguns anos, dizia que a poupança era boa como reserva de capital, mas que, se eu quisesse realmente ter ganhos expressivos, o mais interessante seria investir em boas empresas na bolsa de valores.

Contente por ter descoberto o “mapa do tesouro”, fui correndo ver qual era a melhor ação para investir.

Erro #1: investir sem conhecimento

É sempre importante ressaltar que o maior investimento que pode ser feito é no seu próprio conhecimento.

Ele é o ativo que pode fazer você criar e descobrir inúmeros outros ativos que serão excelentes investimentos.

É o conhecimento que fará você entender e discernir por que investir na empresa A, e não na B.

Infelizmente, na época, eu ainda não sabia que o conhecimento é o que nos alimenta e nos ajuda a tomar as melhores decisões (por mais óbvio que isso possa parecer).

Simplesmente, segui o senso comum da época. Quais são as melhores empresas?

Ah, as melhores são Petrobras, Vale (tinha acabado de mudar o nome de CVRD – Companhia Vale do Rio Doce para somente Vale), Banco do Brasil…

Sem nenhuma pesquisa mais aprofundada, resgatei minhas economias da poupança e comprei as cotas de Petrobras (PETR4), a cerca de R$ 27,00.

Hoje, meu filtro de boas empresas começa com uma análise simples de balanço, mas que já descarta uns 80% das empresas na bolsa. A partir daí é que posso estudar outros fundamentos importantes.

Veja este artigo para entender o método e perder o medo de investir em ações.

Erro #2: colocar todos os ovos na mesma cesta

A vovó já dizia que, quando for à feira, não se deve colocar todos os ovos na mesma cesta. Se, por acaso, uma das cestas cair, você não perderá todos os ovos.

O mesmo serve para o mundo dos investimentos. A diversificação não apenas é importante para a montagem de uma carteira, mas é fundamental.

Dessa forma, caso dê algo de errado com um de seus ativos, isso representará uma parte pequena de seu patrimônio.

No entanto, eu pensava: “estou investindo na melhor empresa do Brasil. O país nunca deixará uma estatal assim falir”.

Realmente, duvido que a Petrobras chegue a falir um dia, mas era impensável uma empresa com tanto lucro até então passar por todos esses problemas atualmente.

Por isso, por melhor que você pense que seja determinado investimento, nunca coloque todos os seus ovos ali. Mesmo que você não derrube a cesta, ela pode ficar cada vez mais velha e corroída, e não mais aguentar segurar todos os ovos que você tem ali.

Atualmente, tenho diversificação em renda fixa, fundos imobiliários e ações, com vários ativos diferentes dentro de cada uma dessas modalidades.

prejuizo_na_bolsa_de_valores_02

banner728x90_guiainvest_dividendos_02

Erro #3: não realizar novos aportes

Muitos investidores buy & hold (que compram para construir patrimônio) defendem que não é necessário timing (escolher momentos certos para investir em algo) para ter sucesso com ações no longo prazo.

Eles dizem que os aportes periódicos diluem o impacto de uma compra ruim, pois levam o valor do seu investimento a preços médios, ou seja, não muito altos e nem muito baixos.

Sim, errei de novo aqui. Comprei PETR4 por cerca de R$ 27,00 em um momento de economia aquecida no Brasil, inflação controlada, taxa de juros mais baixa, bolsa de valores bombando. E não comprei mais nenhuma cota desde então.

Fórmula perfeita para um investidor iniciante comprar ações na alta e ver o valor de seu investimento apenas caindo, por anos a fio.

O ideal é que você tenha condições de aportar pelo menos uma vez por ano no ativo.

Erro #4: não considerar os custos

Por incrível que pareça, muita gente investe ignorando totalmente os custos gastos com taxas de corretagem, custódia, administração, emolumentos, entre outros.

No meu caso, foi totalmente por ignorância e comodidade.

Eu não conhecia nada de investimentos, mas tinha conta corrente no Bradesco.

Obviamente, abri a conta do home broker na corretora do Bradesco. Muito mais fácil. Porém, esse mais fácil me custou bem caro.

Não lembro exatamente na época quais eram as taxas cobradas, mas, hoje, a corretora cobra R$ 29,99 de taxa de custódia mensal, que é o valor cobrado simplesmente para guardar seus ativos.

Supondo uma taxa média de R$ 20,00, em 50 meses, eu paguei R$ 1.000,00 somente para manter essas ações.

Para efeito de comparação, há algumas corretoras que cobram até R$ 6,90 por mês. Veja este artigo sobre corretoras.

Quando o total investido é baixo, esse valor pode comprometer uma boa parte do seu rendimento.

Hoje, uso a Easynvest para renda fixa, por não cobrar nenhuma taxa (em renda fixa), e a Socopa para renda variável, por não cobrar taxa de corretagem para fundos imobiliários e isentar a taxa de custódia quando se faz ao menos uma operação com ações.

Erro #5: não aceitar o erro

Reconhecer um erro é algo muito importante para a pessoa, em qualquer ramo da vida. Humildade é uma virtude que todos devemos ter. Alguns já nascem com esse dom. Mas, por sorte, isso é algo que conseguimos aprender e desenvolver.

Confesso que não fui um dos felizardos que nasceu com esse dom. Tenho muita dificuldade em aceitar que cometi erros, pois é algo que fere nosso orgulho.

O importante é tentarmos sempre entender por que erramos, e não defender e persistir em algo que não deu certo.

Fiquei cerca de 50 meses, isso mesmo, 4 anos e 2 meses amargando esse investimento ruim que fiz lá atrás.

Eu pensava: “oras, ações são investimentos de longo prazo. É só esperar que um dia eu recupero esse valor”. Será mesmo?

Com toda essa situação econômica atual e escândalos na Petrobras, quanto tempo será que eu precisaria esperar para a Petrobras sair de R$ 9,00 para R$ 27,00, ou seja, uma valorização de 200%? Isso apenas para “empatar”, mas sem considerar o custo de oportunidade perdido nos 4 anos e mais outros até chegar nesse valor.

Enquanto isso, poderia estar posicionado em uma renda fixa pagando mais de 12% ao ano, fundos imobiliários que pagam 11% e ainda reajustam pela inflação ou, ainda, outras empresas que divulgam lucro ano após ano e crescimento de 15% anualmente.

E eu ali, com um investimento que, quando eu abria o home broker, só via caindo e desvalorizando.

Com muita dificuldade, decidi finalmente assumir aquele prejuízo (vendendo a cerca de R$ 9,00) que estava me atormentando há mais de 4 anos e pude comprar outros ativos que já estão dando retornos muito mais interessantes.

Como evitar esses erros?

Uma vez identificados, fica muito mais fácil de encontrarmos a solução:

#1: dedicar um tempo para estudar sobre aquilo em que se pretende investir.
#2: diversificar, ou seja, investir em diversos ativos de características diferentes.
#3: realizar aportes periodicamente para diminuir o impacto de uma compra ruim.
#4: pesquisar instituições financeiras com custos mais competitivos.
#5: aceitar que todos erram, mas que se deve aprender a partir desses erros.

O que aprendi com esses erros?

Graças a esses erros que cometi no início, fiquei motivado em buscar conhecimento: fiz diversos cursos sobre educação financeira e investimentos, além de ler livros, acessar sites, participar de fóruns de discussão e testar estratégias na prática.

Caso meu investimento tivesse dado certo e me dado muito lucro, eu provavelmente estaria investindo mais e mais, sem ao menos estudar. E alguma hora isso me derrubaria e traria um prejuízo muito mais difícil de ser recuperado.

Para minha sorte, aquele investimento, em termos financeiros, não foi tão alto e, com o aprendizado adquirido ao longo desses anos de estudo e investimento, já foi possível recuperar e ganhar além daquilo.

Para você, leitor, que ainda não iniciou sua vida nos investimentos, essa é uma lição da qual você pode tirar proveito para evitar cometer os mesmos erros que cometi.

Inevitavelmente, você errará também, mas, como já dito, todos estão sujeitos a fracassos. O importante é saber lidar com eles e não ter medo da pobreza.

Quem erra é porque tenta, mas quem não tenta nunca acertará.

É por isso que escrevemos um e-book chamado “Ações para Iniciantes” que ensina como investir em ações da maneira correta e com um passo a passo que facilita seu aprendizado.

Se você quer ter sucesso no investimento em ações e aprender com alguns dos meus erros, clique aqui.

Grande abraço!

Vitor Hernandes

  • Anderson Henrique Chaves

    Excelente texto Vitor.
    A maior sabedoria consiste em aprender com o erro dos outros. Errando nós temos 2 opções.
    1- nos tornar reativos e culpar o mercado e nunca mais investir
    2- assumir a responsabilidade pelas nossas más escolhas e descobrir onde foi o erro (postura ativa)

    é cláro que a segunda postura é a mais interessante, pois nos dá a chance de acertar o caminho da proxima vez.

    ainda não tive coragem nem tempo para investir no mercado de ações, mas por enquanto vou apenas estudando
    grnde abç e bons investimentos :}

  • Valeu, Anderson!

    É muito melhor aprender com os erros dos outros, mas inevitavelmente cometemos os nossos também. E precisamos extrair o melhor daquilo.

    Você faz muito bem em sempre estudar bastante antes de se aventurar! Essa maturidade é que me faltou no início, mas que consegui corrigir a tempo.

    Grande abraço!

  • ROSANA CALDI

    Excelente, Vitor!

    O depoimento pessoal que fez, deu mais motivação ainda para que o investidor incipiente procure informações acerca de educação financeira e investimentos, antes de entrar ‘de cabeça’ no universo da bolsa de valores … Isto aliás, serve para qualquer modalidade da nossa vida, pois o conhecimento é o ponto de partida para o êxito em qualquer tipo de empreendimento.
    Mesmo sendo uma pessoa consciente com relação a gastos (‘mão de vaca’ kkkkk) e um poupador nato, você trilhou um caminho que qualquer pessoa que se guie apenas pelo senso comum, acaba fatalmente percorrendo.
    A boa notícia, é que agora o JORNADA DO DINHEIRO está aí, com uma equipe empenhada em divulgar matérias de interesse do investidor, para nos ensinar o ‘caminho das pedras’, proporcionando as ferramentas necessárias para que atinjamos nosso objetivo de independência financeira, sem ter que necessariamente passar pelo dissabor de ter que ‘quebrar a cara’ para depois descobrir onde foi que erramos!
    Parabéns a você e a toda a equipe do Jornada do Dinheiro.

    p.s.: Parabéns, também, pelo vídeo onde você entrevista o Tetzner sobre fundos imobiliários (tentei reve-lo, mas não consegui localizá-lo através da pesquisa no site) e pela entrevista que o André Bona fez com o Edson Ichihara (giro financeiro)!

  • Anderson Bays

    A melhor saída é estudar mesmo, foi o estudo que abriu meus olhos e me tirou da poupança. Hoje invisto em CDBs muito mais rentáveis que a poupança, recentemente comecei a investir no tesouro direto (ainda estou entendendo como funciona), neste momento estou estudando o mercado de ações, creio que dentro de alguns meses já tenho certa segurança e coragem para investir em ações. Diversificação é a chave pro sucesso, sempre digo, é muito mais prazeroso conversar com uma pessoa que sabe um pouquinho de cada assunto, do que com um especialista em um determinado assunto e ignorante nos demais.

  • Janete Barbosa

    Ótimo artigo! é realmente muito importante estudar, conhecer, procurar saber sempre mais e mais sobre como e onde é o melhor lugar para investir… Obrigada por compartilhar…

  • Obrigado, Rosana!

    Estamos procurando ensinar coisas pelas quais todo investidor eventualmente passará. E queremos que passem sem maiores dificuldades!

    A entrevista com o Tetzner não colocamos no site, mas devemos providenciar em breve. Por enquanto, você pode revê-la no grupo do Facebook (https://goo.gl/qRMyV7) ou pelo nosso canal no YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=EzDxevaLzZ0).

    Agradeço novamente!

    Grande abraço!

  • Fala, Anderson!

    Você está certíssimo. O conhecimento é o caminho e não precisa ter pressa. Todos os dias aprendemos alguma coisa nova. Eu mesmo estudo e aprendo um pouco a cada dia.

    Sugiro que, mesmo que pretenda diversificar, tente entender bem como funciona cada investimento para que não vire uma pulverização aleatória. Mesmo com diversificação, é importante ter alguns critérios.

    Obrigado pelo comentário!

    Grande abraço!

  • Isso mesmo, Janete!

    Você está no caminho certo, mantendo o foco nos estudos! Sempre que vejo seus comentários é uma grande satisfação em saber que estamos conseguindo ajudar outras pessoas!

    Grande abraço!

  • Janete Barbosa

    É preciso se esforçar para aprender cada dia mais… Muito obrigada por suas contribuições muito positivas…

  • chrystian

    Edson Ichihara navegando pelo site do TD, vi lá que só é possível investimentos mensais de até 1 mil reais por mês, procede a informação? Agradeço qualquer outro que também possa tirar essa dúvida.

  • Olá, Chrystian!

    Creio que você comentou no artigo incorreto, mas vamos à sua dúvida.

    O limite máximo é de 1 milhão por mês. Veja neste link do próprio site do Tesouro:
    http://www3.tesouro.gov.br/tesouro_direto/faleconosco_perguntas.asp

    Grande abraço!

  • chrystian

    Vitor Hernandes aproveitando gostaria de entender melhor relação DESAGIO/ AGIO em relação a formação de preços de títulos, assim como a variação dos indexadores influenciam em ganhos e perdas em caso de retiradas antes do vencimento. Sou principiante e lendo isso no site do TD, simplesmente travou.

    agradeço sua disponibilidade desde já.

  • Basicamente, quando os preços dos títulos caem, as taxas sobem para compensar, pois o valor de face no vencimento deve permanecer o mesmo.

    Leia este artigo para ajudar a entender:
    http://jornadadodinheiro.com/investir/use-a-inflacao-pra-investir/

    Fique à vontade para perguntar.

    Grande abraço!

  • Studart Tavares

    Perdoe minha ignorância mas o que seria “realizar aportes periodicamente?”

  • Fala, Studart!

    Pergunte sempre o que precisar!

    “Realizar aportes” é sinônimo de investir, então o que eu quis dizer é para tentar investir naquela ação com certa regularidade para, quando você comprar em um valor muito alto, isso ser compensado por quando você comprar por valor baixo.

    No exemplo que usei, comprei uma única vez com o valor de 27 reais. Hoje ela está por volta de 8 reais. Se eu comprasse o mesmo número de ações, estaria com um preço médio de 17,50, já bem inferior ao preço altíssimo do começo, né?

    Grande abraço!

  • Adriano

    Bom Dia, Estive em situação similar e, basicamente, ninguém entra na bolsa pra perder mas, em certos momentos, é preciso saber o exato momento de saída, mesmo com prejuízo. Hoje, resolvi liquidar minha carteira por medo de novos prejuízos, que já são enormes. Interessante a situação das despesas da corretora, que no meu caso impediam lucros no day-trade. Assim, qual seria – na sua opinião – o capital mínimo para operar com lucro no mercado de curto prazo ?

  • Fala, Adriano! Tudo certo?

    A vida de trader é bem complicada: se você opera valores baixos, o tempo que perde em frente ao computador e fazendo os estudos é um tempo perdido; se opera valores altos, as possíveis perdas são enormes e podem desestabilizá-lo emocionalmente.

    Dito isso, terei que responder com uma reflexão que você terá que decidir por conta própria. Calcule quanto você espera ganhar com determinada operação (em %), veja qual o valor que você poderia perder e não ficaria abalado (em R$) e calcule quanto de ganho essa operação traria para você (em R$). Por último, avalie se esse ganho valeria o seu tempo estudando aquela operação e o estresse causado por ela. Se você acha que sim, siga com a operação.

    Caso consiga ser bem sucedido, cuidado para a ganância não tomar conta e você arriscar cada vez mais. Separe parte daquele valor e tente outra operação na qual você se sinta confortável novamente.

    O controle de risco da carteira total é sempre muito importante. Boa sorte nas operações!

    Aproveito também para convidá-lo a participar do nosso grupo de discussão no Facebook:
    https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Grande abraço!

  • Robson P. Santos

    Cara hoje tenho conta da Easy e na Socopa e fiz a mesma distinção que você uma para fixa e outra para variável. Eu tinha conta na TOV e até dezembro por relaxo tinha todo meu capital parado lá. Felizmente investi tudo e um dia antes de fecharem apliquei os ultimos 20 mil. Fui um cara de sorte e acho que esse recado deve ser dado, nunca se deixa grana parada na corretora.

  • Excelente, Robson! Realmente, deu uma sorte tremenda! Dinheiro parado na conta da corretora é bem arriscado!

    Gosto dessas duas corretoras, pois me atendem muito bem e os custos são bem baixos! Acho a combinação ideal para o que opero no momento.

    Grande abraço!

  • Juan

    Victor, gostaria saber quais cursos você recomenda ou livros. Obrigado

  • Fala, Juan!

    Aqui na seção de livros do site temos alguns excelentes: http://jornadadodinheiro.com/livros/

    Indico em especial “O Investidor Inteligente”, do Benjamin Graham. Outro excelente é “Investindo em Ações no Longo Prazo”, do Jeremy Siegel.

    Também estamos produzindo nosso e-book de ações, escrito pelo Edson Ichihara. Devemos lançar em julho. Fique ligado!

    Grande abraço!

  • Lilian

    Vitor, você diz que é ideal realizar aportes periódicos para minimizar o impacto de uma má escolha porém, se no começo você comprou R$ 27,00 e percebe que está caindo, vale a pena continuar comprando ? mesmo que a cota esteja R$ 9,00 ?

  • Oi, Lilian!

    O maior problema foi que coloquei digamos que o montante todo disponível em Petro nesse preço. Quando você tem um valor razoável disponível, o ideal é fazer compras mais espaçadas para não correr o risco de uma compra ruim.

    Sobre comprar quando está caindo, é bom, desde que saiba que está comprando uma empresa boa. O preço cair não significa que a empresa deixou de ser boa, pode ser uma oscilação pontual, o que representa oportunidade.

    No caso da Petrobras, foi algo bom eu não ter comprado mais enquanto ela caía, porque ela foi cada vez piorando mais em termos de qualidade.

    Grande abraço!