SERÁ QUE LEVEI CALOTE DO TESOURO?

calote_tesouro

Será que levei calote do Tesouro?

Descubra os mistérios da rentabilidade negativa do Tesouro e os riscos deste investimento

Outro dia, eu estava em casa com minha noiva e ela me perguntou se o Tesouro Direto era realmente bom.

Ela iniciou seus investimentos e viu no extrato uma rentabilidade negativa. Ficou preocupada e me perguntou: “Será que levei calote do Tesouro?”

Como vejo muitos investidores com essa mesma dúvida, decidi tentar esclarecer a dúvida dela e a de vocês!

Conforme o excelente artigo do Vitor Hernandes, com a liquidez diária do Tesouro Direto, o Tesouro Selic se tornou quase imbatível em relação a poupança.

No entanto, ainda vejo duas dúvidas dos investidores que os impedem de iniciar esse investimento: a segurança e a rentabilidade inicial.

Observei que há muitos artigos excelentes falando da segurança do Tesouro Direto, mas não mostram argumentos fortes para você realmente acreditar nisso.

Quando você investe em Títulos Públicos Federais pelo Tesouro Direto, está emprestando dinheiro ao Governo Federal, ou seja, o Governo se torna credor e fica devendo para você. Há um relatório mensal da dívida pública, em que você consegue visualizar todas as vendas e compras do Tesouro Direto.

calote01

Veja na tabela acima que, só em março de 2015, o governo vendeu 1,00177 bilhões de reais em títulos (na coluna emissões), recomprou 168,03 milhões de reais e pagou o LFT de vencimento 2015 (atual Tesouro Selic) no total de 289,01 milhões de reais. Só pela tabela acima você consegue notar que, para pagar os títulos, o Governo utiliza o capital das novas emissões.

Isso já demonstra a segurança do investimento em Títulos Públicos Federais do Tesouro Direto. Somente em casos extremos de uma crise econômica o governo não conseguiria emitir mais títulos e, assim, não pagaria seu investimento. Observe, ainda, que o estoque do governo está em 16,72492 bilhões de reais, o que torna o calote do governo mais improvável.
No mesmo relatório, há uma tabela que mostra os detentores dos títulos públicos federais:

calote01_meio

No caso do Tesouro Direto para pessoas físicas, ela está contida em “Outros”. Veja que instituições financeiras (bancos!), fundos de investimento, previdência, seguradoras possuem muito mais títulos que as pessoas físicas.

Não sei se você pensa assim, mas, se essas instituições investem em Títulos Públicos Federais, por que eu, como pessoa física, não consideraria esses títulos um bom investimento? Além disso, o total de todos os Títulos Públicos Federais é de 2,31649 trilhões de reais, que é muito maior que o 1,0077 bilhões do Tesouro Direto.

Uma observação importante: antigamente, não era possível a compra de Títulos Públicos Federais diretamente do governo, mas somente por meio de instituições financeiras, seguros ou previdência. Foi somente no dia 7 de janeiro de 2002 que o governo iniciou o programa do Tesouro Direto, que viabilizou a compra de Títulos Públicos Federais pelas pessoas físicas via internet por meio de um agente de custódia.

No mesmo relatório, também temos a quantidade de pessoas físicas com investimento em Tesouro Direto.

calote02

São 484.275 pessoas em março de 2015. Espero que você faça parte desse grupo. Um dos primeiros objetivos da Jornada do Dinheiro é fazer esse número alcançar 1 milhão de pessoas!

Bom, agora que eu já mostrei para você a segurança do Tesouro, vou explicar sobre a rentabilidade negativa dos primeiros dias.

O governo recompra os títulos com um preço menor do que a venda. No caso do Tesouro Selic 2021, ele paga 0,04% a menos. Observando os preços de venda e compra dos títulos, há uma diferença de R$ 15,70 para um título Selic atualmente. E, comparando os preços diários, há um acréscimo de R$ 3,34 a cada dia útil. É devido a esses fatores que a venda antecipada do título é negativa nos primeiros 4 dias úteis.

calote03
A tabela dos preços do Tesouro Selic 2021 você pode encontrar neste endereço do Tesouro Direto.

Agora, vou explicar em relação à rentabilidade bruta que aparece no extrato consolidado:

calote4

Esse título foi adquirido no dia 13/04/2015. Note que a rentabilidade é de 0,34%. A primeira pergunta é: como é calculada essa rentabilidade? O segredo é esta fórmula:

calote05

O preço de venda no dia 30/04/2015 era de R$ 6.773,12. De acordo com a fórmula acima: 6773,12/6750,31 – 1 = 0,003379 ou 0,3379% (o mesmo que a rentabilidade bruta mostrada no extrato).

Ou seja, em 17 dias, se você vender seu título, a rentabilidade será menor que o esperado (mas muito maior que a da poupança, que no caso seria zero).

Porém, não se preocupe, se você mantiver esse título até o vencimento, a rentabilidade aumentará. Para calcular essa rentabilidade esperada (o que teria se mantivesse o título até vencimento), em vez de usar o preço de venda do dia 30/04/2015, utilize o preço de compra do mesmo dia (30/04/2015). Veja: 6788,84/6750,31 – 1= 0,005708 ou 0,5708%.

Como observado na tabela acima, o preço de venda cresce a cada dia, dependendo de vários fatores, como a taxa Selic e os dias corridos. Por isso, reafirmo, não se preocupe, pois a rentabilidade aumentará!

calote06

Veja que mesmo a rentabilidade bruta (que considera o preço de venda) aumentou para 0,78% no dia 16/05/2015 para o mesmo título, ou seja, em 16 dias corridos, ela mais do que dobrou (de 0,34% para 0,78%). Em relação à rentabilidade esperada, teríamos: 6818,86/6750,31 – 1= 0,010155089 ou 1,0155%.

Conclusão

Se você busca segurança com boa rentabilidade, o Tesouro Selic é uma ótima alternativa.

Apesar de começar com uma rentabilidade negativa, ela crescerá e facilmente ultrapassará a poupança.

Espero que o artigo esclareça suas dúvidas, mas, caso precise de mais algum esclarecimento, pergunte nos comentários abaixo.

Você acaba de ganhar um presente por ter lido o artigo até o fim!

Como sei que matemática não é o forte para muitas pessoas, criei uma planilha em que você conseguirá realizar as contas preenchendo as células do Excel.

Baixe a Planilha AQUI gratuitamente.

Caso queira saber mais, disponibilizamos gratuitamente o Mini-Curso Tesouro Direto. Para se inscrever, Clique aqui.

Abraço!

Edson Ichihara

  • Stephany Medeiros

    Show de artigo! Ter consciência que o tesouro é um investimento de medio longo prazo é essencial para tomar a decisão de começar a investir neste tipo de ativo! Levar o titulo até o vencimento é uma prioridade p mim, mas saber pq as variações ocorrem é muito esclarecedor! Show!

  • Edson Ichihara

    Obrigado pela mensagem Stephany! Fica mais fácil entender aquela rentabilidade bruta que aparece no extrato consolidado!

  • Mota Fagundes

    Edson, gostaria de saber sua opinião sobre minha estratégia.

    Meu objetivo é, no futuro, viver de renda (ou pelo menos que os rendimentos paguem minha contas básicas), então os títulos Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2035 e 2050 satisfazem meu objetivo.

    Porém, sei que não é vantajoso ficar pagando IR todo semestre, para pequenos rendimentos (e porque seria interessante reinvestir os dividendos).

    Mas aí que vem a dúvida: as taxas de juros hoje (6% + ipca) são elevadas, e quando o país voltar aos eixos (ou pelo menos ficar menos ruim, já que não pode ficar pra sempre em crise), este título vai render bastante, comparado com os que serão vendidos futuramente.

    É um raciocínio válido? Acha que vale o risco de deixar de ganhar agora, pra ganhar futuramente com os juros de hoje?

  • Edson Ichihara

    Muito obrigado pela mensagem Mota. vc tem razão em considerar o Tesouro IPCA mais longo (2035 e 2050), pois dificilmente encontramos uma aplicação em renda fixa com taxa de +6% acima da inflação. Em relação aos juros semestrais, somente se vc precisar de liquidez semestral que eu investiria nela. Além do problema de pagar o IR, vc diminui a quantia total que renderá os juros. Veja abaixo que apesar de a rentabilidade ser a mesma, a quantia total do NTNB Principal (figura de baixo) é maior que o NTNB com juros semestrais (figura de cima). Usei a calculadora do Tesouro Direto.

  • Mota Fagundes

    Pois é Edson, tenho ciência que no final das contas, vou receber bem menos, pois não vou ter lucro em cima do lucro.

    Porém, ao meu ver, se encaixa com meu objetivo de vida, que é viver de rendimento, no futuro. Então penso em investir nesses títulos, e no futuro me beneficiar dessa taxa de 6% a.a que pegaria hoje enquanto a inflação está baixa, com vários aportes mensais.

    Do ponto de vista de meu objetivo, você acha correta minha estratégia ?

    Grato pelo retorno!

  • Edson Ichihara

    Parabéns Mota! Sua estratégia está correta, visando o longo prazo e garantir que seu dinheiro renda mais que a inflação do período. Se vc estiver ciente da diferença entre com juros semestrais e sem juros semestrais, pode manter essa estratégia. Em relação ao curto prazo, você possui algum investimento para reserva de emergência?

  • RC

    Edson, excelente artigo. A única coisa que não entendi é como a taxa devida para a BVMF é calculada? Essa não é a taxa de 0,3% a.a.? No extrato consolidado 2, o valor “bate certinho” em cima da renda bruta acumulada no período. Entretanto, no extrato consolidado 1, com menos de 30 dias, o valor não bate. Por quê?

  • Edson Ichihara

    Obrigado pela mensagem RC. Essa taxa é sobre o valor bruto total (o valor aplicado + renda bruta) e é proporcional ao período de custódia do título. Vc deve multiplicar o valor bruto total x 0,3 % x período em anos (se for um mês, seria 1/12 ; um semestre, seria 6/12; 15 dias seria 1/24), assim você consegue encontrar o valor.

  • RC

    Edson, desculpe a minha chatice, mas vamos lá: como você considerou que um mês é 1/12, um semestre é 6/12 e 15 dias, 1/24, um ano tem 360 dias. Seguirei esse mesmo raciocínio.
    No seu primeiro exemplo, teríamos:
    745,04 x (0,3/100) x (17/360) = 0,11 (no exemplo está 0,9)
    No segundo exemplo, teríamos:
    748,34 x (0,3/100) x (33/360) = 0,21 (no exemplo está 0,18)

    Quando tento aplicar essa lógica no meu extrato, os valores ficam ainda mais diferentes.

    O que estou fazendo de errado? Desde já, agradeço.

  • Edson Ichihara

    A taxa é semestral, então vc deve multiplicar por 0,15%. Vc deve considerar os dias do semestre, então vc deve dividir por 181, os dias corridos vc deve subtrair 3 dias pq a custodia é a partir do D+2 da compra liquidada (isso para os títulos que comprou no mesmo semestre). Sempre deve fazer a conta dos dias corridos entre o dia 01 de jan de 2015 até 30 de junho de 2015 e no outro entre 01 de julho de 2015 e 31 de dezembro de 2015. Observe nos seus títulos que hoje elas “resetaram” o valor da taxa, pq vc pagou hoje o que devia no 1 semestre de 2015. Conseguiu entender? a taxa que vai aparecer a partir de hoje (se vc devia mais que 10 reais, vc pagou hoje a taxa semstral), vc multiplica o valor bruto x 1/184 x 0.15 %.

  • Abian Rosas

    Não estou conseguindo baixar a planilha Excel, poderia enviar para dr_angelo_@hotmail.com

  • Edson Ichihara

    Oi Abian. Enviei para seu email. Grato

  • Eduardo

    Caro, Edson, por gentileza, me esclareça uma rápida dúvida.

    O IPCA influencia o Tesouro IPCA+ 20XX (NTNB Princ) quando
    vendido antes do vencimento?

    Por exemplo, imagine um Tesouro IPCA+ 2035 adquirido em 2015
    e vendido em 2018. Eu já sei que o valor a ser recebido será o da marcação a
    mercado. Mas a inflação desse período terá alguma influência nessa marcação a
    mercado? Ou, por estar sendo vendido antes do vencimento, tanto faz se o IPCA foi
    de 5,00% ou de 10,00% ao ano?

    Muito obrigado, amigo, e parabéns pelo trabalho! Abraço!

  • Edson Ichihara

    Obrigado pelo elogio Eduardo. O Tesouro IPCA é influenciado pelo IPCA sim, nos dois casos: seja mantendo até o vencimento seja vendendo antes. O cálculo da rentabilidade do IPCA depende do IPCA, da taxa, do numero de dias investidos.. veja esse link que ensina como calcular: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/documents/10180/258262/NTN-B_Principal/57d65250-27d5-4251-83da-58328142f583 .

  • Eduardo

    Muito obrigado, Edson! Isso me fez observar uma coisa. Por favor, me diga se meu raciocínio está correto, em relação aos títulos do Tesouro Selic 2035 que adquiri dias atrás a 6,68%. Mesmo que a taxa futuramente vá a incríveis 7,5% ou 8% (acho improvável, mas como não dá pra prever o futuro…), provavelmente poderei obter, mesmo com a venda antecipada dos títulos, um rendimento melhor que a poupança, desde que decorridos alguns anos do investimento (e enquanto a inflação estiver superando a poupança). Ou seja, depois de certo tempo (alguns anos), dá para se obter um bom rendimento mesmo com o valor dos títulos indo contra a nossa posição. Se esse raciocínio estiver certo, é uma boa notícia, mesmo para quem, como eu, pretenda carregar seus títulos até o vencimento. É isso mesmo, Edson? Abraço!

  • Edson Ichihara

    Se vc carregar o título até o vencimento, vc receberá o que foi acordado IPCA + taxa (6,68). Se vc vender antes, vc pode tanto perder (se vc vender agora, com taxa maior que 6,68, vc irá perder dinheiro), quanto ganhar (por exemplo, se no futuro a taxa estiver 5 %, vc irá ganhar dinheiro). O importante é saber q o melhor é carregar até o vencimento. Inclusive, se vc ver seu extrato agora, seu saldo vai estar negativo. Mas não se preocupe, se manter até o vencimento, ganhará o q foi acordado.

  • Kennedy Linhares

    Muito obrigado pelo artigo Nelson! Tem que entender que há flutuação até o valor de face de alguns do título, certo? Agora que li seu perfil e vi que você é médico! Estou no último ano de medicina na UFPA e agora me interessando por economia e investimentos!

  • Kennedy Linhares

    Muito obrigado pelo artigo Edson! Tem que entender que há flutuação até o valor de face de alguns do título, certo? Agora que li seu perfil e vi que você é médico! Estou no último ano de medicina na UFPA e agora me interessando por economia e investimentos!

  • Edson Ichihara

    Obrigado pela mensagem Kennedy! Muito legal, está terminando o internato, vai fazer qual especialidade? Eu percebi que para fazer uma boa medicina, vc precisa conhecer economia. Se o paciente não conseguir comprar os remédios, pagar as cirurgias, o tratamento não será efetivo.. Os títulos pós fixado (Selic e IPCA) tem variação do VNA (valor nominal atualizado), que é o valor que vc vai receber no vencimento. O preço (presente) da Selic sempre vai aumentar, o preço (presente) do IPCA pode variar dependendo da taxa prefixada. Por isso, se vc vender antecipado o Tesouro Selic vc não terá prejuizo, mas se vender o IPCA antecipado pode ter prejuizo dependendo da taxa do dia.

  • Kennedy Linhares

    Realmente precisa saber de economia pra manejar esses momentos principalmente nessa conjuntura atual que não está fácil! Pretendo fazer clínica médica pra fazer reumato! Muito massa sua espacialização em Dallas parabéns! Os indexados ao IPCA são as NTNB indicadas para fazer previdência, sinceramente não sei se invisto um pouco na NTNB principal ou só fico na LTN e LFT! Vi que é possível variar entre LTN e LTF em momentos de alta e baixas de juros para ter um rendimento melhor, você tem algum artigo sobre isso? Abraço.

  • Edson Ichihara

    Olá Kennedy! Muito legal vc gostar de reumato! Com a população envelhecendo, aumenta as doenças reumatológicas! O IPCA é bom para a aposentadoria, e hoje as taxas estão boas (maior que 7 %), colocaria no IPCA o investimento para dez ou 20 anos. O LFT vc pode colocar porque vc nunca perde com ela e pode resgatar antes do vencimento sem perda. O LTN vc começa a investir quando vc perceber que o Selic está diminuindo. Hoje o LTN está 15,01 (2018) e 14,99 (2021). A taxa está boa, mas pode ser que ela aumente no futuro. E se a inflação crescer mais, vc perderia o rendimento real. Enfim, pensando na aposentaria, eu gosto do tesouro IPCA; como um fundo de emergencia o LFT. E se vc tiver algum objetivo em 2018 ou 2021, pode investir um pouco no LTN.

  • Kennedy Linhares

    Muito obrigado mais uma vez! Lendo os artigos aqui perdi o medo e realmente vou começar meus investimento. Grande abraço!

  • Leo Nova

    Bom dia! Ainda me restam algumas dúvidas… tenho alguns papéis em tipos diferentes de títulos para analisá-los e entendê-los melhor.
    No Tesouro IPCA, por exemplo, tenho rentabilidade positiva de 5% no 2019, negativa de 3% no 2021 e negativa de 14% no 2035. Esse saldo negativo, com o passar dos meses, vai diminuindo? Pois no artigo fala a respeito dos dias subsequentes mas tenho meus títulos investidos desde fevereiro e ainda vejo rentabilidade negativa.

    Obrigado!

  • Edson Ichihara

    Bom dia Leo! Se vc mantiver seus títulos até o vencimento, vc manterá seus rendimentos de acordo com a taxa que foi comprada. Se vc vender quando estiver negativo, vc perderá devido ao preço de mercado. Deixe esses investimentos até o vencimento que vc conseguirá ganhar os rendimentos. É por isso que o Tesouro IPCA e Tesouro Pre fixado devem ser comprados somente se tiver a certeza de não precisar desse dinheiro antes do vencimento!

  • Leo Nova

    Muitíssimo obrigado pela explicação! Foi de excelente valia! Fico muito mais tranquilo em relação aos investimentos que estão com rentabilidade negativa no momento pois realmente não precisarei mexer neles. Se me cabe uma nova pergunta, tenho papéis no Selic 2021 que garante como retorno apenas a SELIC. Seria mais prudente retirar o investimento em caso de começar um quadro de retração contínua da SELIC? Muito obrigado mais uma vez!

  • Edson Ichihara

    Obrigado pela mensagem Leo.. O Tesouro Selic é ótimo para reserva de emergência. E como ela é pós fixado, ele sempre terá uma rentabilidade positiva. E sim, no caso de queda de taxa de juros, você poderia começar a investir em pré-fixados. Mas no atual quadro economico brasileiro, eu manteria no Tesouro Selic.

  • Leo Nova

    Sim! Mantenho e sigo investindo! Mas acredito que em 2017 as coisas possam mudar. Em 2016, sigo no Tesouro Selic!
    Muitíssimo obrigado pelas respostas!

  • Paulo Alvarenga

    Olá Leo. O Tesouro Selic é rentabilidade diária, de acordo com a SELIC, não tem erro, é simples de entender. Já em relação aos títulos pré – fixados (incluindo o tesouro IPCA+), sugiro que você os encare como bens materiais (como um terreno, ou ouro, p.ex.), explico: Vc comprou o bem (o título), o preço dele nos dias seguintes varia conforme o humor do mercado (assim como o preço do ouro, dos imóveis). Se vc resolver vender num momento em que seu título se desvalorizou, você perde dinheiro e o contrário também é válido. Agora se você esperar até o vencimento, receberá exatamente o que foi contratado. Pela data do seu post, imagino que agora sua rentabilidade esteja positiva, pois o mercado está mais confiante no futuro que há dez meses atrás, correto?

  • Henry

    Meu Tesouro IPCA com juros semestrais está decaido, comprei a R$ 512 e hj ta valendo 509, e só cai dia após outro 🙁

  • Edson Ichihara

    OLá Henry. Muito obrigado pela mensagem. O Tesouro IPCA com juros semestrais sofre influencia do preço de mercado do dia. Se você mantiver os títulos até o vencimento, você não terá prejuizo. Não se preocupe. Provavelmente o preço que pagou pelo título foi um pouco mais alto que o de hoje. O segredo é manter até o vencimento e com o tempo os juros farão a diferença!