OS 5 MELHORES TIPOS DE RENDA PASSIVA MENSAL

tesouro-direto-vale-a-pena-capa
Um dos maiores objetivos dos investidores é garantir uma aposentadoria tranquila e segura e, quem sabe, a tão sonhada independência financeira.

No entanto, muitos se perguntam como gerar essa renda passiva, sendo que a maioria dos investimentos não distribuem os rendimentos, ou seja, ficam apenas se valorizando ao longo do tempo até o vencimento.

Mas saiba que existem sim investimentos adequados para uma renda passiva mensal!

Primeiramente, eu gostaria de apontar rapidamente as diferenças entre renda passiva e ativa, pois muitas pessoas ainda não têm essa ideia de forma clara.

Conheço pessoas que ganham muito dinheiro e não estão nem um pouco preocupadas com o futuro, pois acreditam que conseguirão manter o mesmo nível de produção por anos a fio e acham que os ganhos com investimentos são muito baixos.

Então, achei importante fazer esse esclarecimento aqui.

Renda Ativa x Renda Passiva

Renda ativa é aquela que depende diretamente do seu esforço, do seu trabalho e, normalmente, do seu tempo.

Infelizmente, a maioria dos brasileiros depende exclusivamente de sua renda ativa, ou seja, vendem seu tempo de trabalho em troca de um salário.

Os trabalhadores autônomos, embora sejam mais independentes na questão de tempo e horário, estão vendendo sua capacidade de produzir, o que também é outra forma de renda ativa.

Empresários que participam ativamente no dia a dia de sua empresa também estão gerando renda ativa em troca de sua capacidade de gerenciar a empresa. No entanto, eles também geram parte de sua renda de forma passiva, pois contratam funcionários e terceirizam alguns tipos de serviços.

Ou seja, os empresários não dependem exclusivamente do esforço, trabalho e tempo próprios, pois eles dividem a carga de trabalho com outras pessoas dispostas a fazer isso.

E o que é renda passiva então?

Renda passiva é a receita que você ganha sem depender diretamente de si mesmo.

Um aposentado do INSS recebe os benefícios todo mês, sem estar trabalhando ativamente, como forma de “recompensa” por todos os anos que já trabalhou.

Um investidor que pensa no futuro também terá essa recompensa pelo esforço de trabalhar e poupar, com a diferença de que terá uma recompensa do tamanho do esforço que teve de fato.

Além disso, terá o tempo dos juros compostos dos investimentos trabalhando a seu favor.

Voltando ao exemplo das pessoas que ganham muito dinheiro: vamos supor que ela seja dona de um e-commerce e consiga uma margem de lucro de 100% em seus produtos.

É claro que é um ganho muito maior do que se comparar com 15% em uma renda fixa, mas no e-commerce a pessoa precisa comprar os estoques, atender clientes, fazer o marketing, organizar o site, analisar os produtos, etc.

Isso tudo leva tempo ou custo financeiro com um funcionário para fazer isso.

Já o investimento requer que você estude uma vez e pronto. Deixa o dinheiro trabalhando para você. Simples, fácil e lucrativo também.

Portanto, mesmo que você ganhe um alto salário, tenha um negócio de muito sucesso ou já tenha herdado uma grande fortuna, é essencial que aprenda a investir e coloque o tempo a seu favor.

Dito isso, apresentarei agora alguns tipos de investimento que podem gerar um fluxo mensal para você.

1) Tesouro IPCA+ e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Quando o investidor iniciante aprende sobre o Tesouro Direto, esses títulos são os que vêm à mente para aqueles que desejam usufruir de sua renda passiva.

É a escolha natural, pois o Tesouro Direto é o investimento mais seguro do mercado financeiro brasileiro.

No entanto, como o próprio nome deles já diz, a distribuição desses juros ocorre em base semestral, sendo que cada um tem datas já determinadas para esses pagamentos.

Ou seja, para quem busca utilizar a renda para os gastos do dia a dia, é complicado depender de um fluxo tão espaçado.

Além disso, essas distribuições sofrem incidência do imposto de renda, prejudicando o poder de acumulação dos juros compostos.

A boa notícia é que, como existem diferentes títulos com essas características, é possível diversificar entre eles para criar um fluxo de renda mais constante.

Atualmente, existem 4 títulos disponíveis para esse objetivo, com sua respectiva data de pagamento entre parênteses (você pode consultar a lista completa aqui):
– Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2027 (01/01 e 01/07)
– Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2026 (15/02 e 15/08)
– Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2035 (15/05 e 15/11)
– Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2050 (15/02 e 15/08)

Veja que a tabela oficial ainda não está atualizada com os títulos de 2026 e 2027, pois começaram a ser negociados este ano. No entanto, todos os prefixados pagam os rendimentos em janeiro e julho. Os títulos do Tesouro IPCA+ com vencimento em ano par pagam nos meses de fevereiro e agosto, enquanto os de ano ímpar pagam em maio e novembro.

O Tesouro Prefixado paga 10% ao ano em forma de cupons, enquanto o Tesouro IPCA+ paga 6% (veja mais detalhes aqui).

Portanto, caso o investidor decida utilizar esses títulos para formar uma renda passiva, poderá diversificar e ter distribuições nos meses de janeiro, fevereiro, maio, julho, agosto e novembro.

Porém, em 6 meses do ano, não receberá nada, então deve ter um bom planejamento para conciliar isso.

Ou, então, pode diversificar em outras modalidades de investimento que mostrarei a seguir.

2) LCI do Banco Intermedium

Para quem já está familiarizado, a LCI é um investimento isento de imposto de renda e, normalmente, não pode ser resgatada antes do vencimento.

No entanto, o Banco Intermedium está emitindo essa LCI com uma característica muito interessante.

É uma LCI rendendo cerca de 6% + IPCA ou IGP-M (existem as duas opções) e que distribui parte dos rendimentos semestralmente.

Em termos de rendimento, é muito interessante, pois a rentabilidade é parecida com a do Tesouro IPCA+, com a vantagem de não ter imposto de renda.

Então, essa distribuição dos rendimentos não prejudica o efeito dos juros compostos, pois bastaria reinvestir esses rendimentos para manter o bolo crescendo.

Outro ponto positivo é que, ao contrário do Tesouro Direto, a data para distribuição dos rendimentos não é fixa. Ela se dá de acordo com a data que você fizer seu investimento.

Portanto, se você fizer um investimento em setembro, passará a receber rendimentos nos meses de março e setembro.

Fazendo 6 desses investimentos em cada mês, você conseguiria criar um fluxo de pagamento mensal!

“Então, esse é o investimento ideal para mim! Colocarei todo o meu dinheiro nele!”

Embora realmente pareça a melhor opção para gerar renda mensal, seria prudente não investir todo o seu patrimônio nesse banco, pois sempre existe o risco de falência.

Segundo o Banco Data, o balanço do Intermedium está excelente com lucros consecutivos há mais de 3 anos e Índice de Basileia de 19,2% (quanto maior, melhor, sendo que o mínimo estipulado pelo Banco Central é de 11%).

No entanto, nunca sabemos quando um banco pode quebrar, pois, mesmo com ótimos números, não dá para prever o futuro.

Por esse motivo, sempre sugiro que se invista no máximo R$ 100 mil em uma instituição para dar uma margem de valorização em relação aos R$ 250 mil garantidos pelo FGC.

Investindo R$ 100 mil distribuídos em 6 LCIs, seria possível uma renda mensal de cerca de R$ 1 mil, o que não é a renda passiva ideal para manter uma família.

Portanto, mesmo que se opte por investir no Intermedium, é importante ter diversificação em outros investimentos para esse fim.

3) Debêntures

As debêntures são outro tipo de renda fixa, mas, em vez de emprestar dinheiro ao governo ou instituições financeiras, o empréstimo é feito a empresas não financeiras.

O problema é que esses investimentos não têm a cobertura do FGC, o que aumenta bastante o risco, pois depende mais da solidez da empresa emissora.

No entanto, esse risco tem um preço. E esse preço está embutido na rentabilidade das debêntures que costuma ser muito superior à dos outros títulos de renda fixa.

Existem as debêntures incentivadas, que são as destinadas a obras de infraestrutura e são isentas de imposto de renda.

Temos visto com frequência algumas delas chegando a 8 ou 9% + IPCA e elas podem ser negociadas em sua própria corretora.

Para o nosso objetivo, é importante que sejam debêntures com amortização anual ou semestral para que possam ajudar no fluxo de renda que queremos.

Aqui, a solidez das empresas deve ser estudada com mais cuidado, porque existe o risco de ficar sem receber o valor investido.

Em debêntures com amortização, esse risco diminui um pouco, pois você já vai recebendo seu capital de volta antes do vencimento.

Diversificação é a palavra-chave mais uma vez.

4) Ações

Muita gente ainda pensa erroneamente que a única maneira de se lucrar com ações é comprando e vendendo na valorização.

No entanto, existe a filosofia de investimento buy & hold que busca sempre comprar ações de boas empresas para receber partes dos lucros das empresas, que são distribuídos em forma de dividendos e juros sobre capital próprio.

Basicamente, esses investidores acumulam muitas ações, não com o objetivo de vendê-las com lucro, mas com o intuito de acumular patrimônio e ter cada vez mais renda passiva com a distribuição dos rendimentos.

A parte boa disso é que, conforme a empresa aumenta seus lucros, a distribuição também pode aumentar, mesmo que você não compre mais nenhuma ação dessa empresa.

A parte ruim é que o fluxo tem uma periodicidade que pode ser anual, semestral ou trimestral. Em algumas poucas empresas, há distribuição mensal.

Além disso, a maioria das boas empresas não distribui um valor tão elevado, pois guarda grande parte para reinvestir na própria empresa e fazê-la crescer.

Isso é bom no longo prazo, mas ruim no curto prazo, pois os rendimentos acabam sendo na faixa de 6% ao ano para várias empresas, o que não atrai muito investidores imediatistas.

A questão é que, no longo prazo, os lucros das boas empresas tendem a crescer e, consequentemente, a distribuição também.

E como o rendimento acaba se equilibrando nessa faixa de 6% ao ano, além de aumentar os dividendos distribuídos, o preço da ação tende a subir para voltar a esse patamar de 6%.

Imagine que uma ação custe R$ 100,00 e a empresa distribua R$ 6,00 por ano (dando os 6%).

Se ela passar a distribuir R$ 8,00 por ano, dificilmente a ação continuará valendo R$ 100,00, pois muitos investidores começarão a comprá-la por conta do bom rendimento.

A ação teria que se valorizar para R$ 133,33 para voltar ao patamar de 6% de distribuição, ou seja, o investidor teria ganhado R$ 2,00 de valorização em rendimentos e mais R$ 33,33 na valorização.

É claro que nada disso é garantido, mas esse é o potencial de se investir em boas empresas.

Se você não sabe nada sobre ações e deseja começar a investir, leia nosso e-book “Ações para Iniciantes”.

Vale lembrar que, nas ações, existe o risco de você ver seu capital diminuir, mas, aprendendo a avaliar boas empresas, dificilmente você terá problemas com isso no longo prazo.

5) Fundos Imobiliários

É impossível falar de fluxo de renda mensal sem citar os fundos imobiliários (FIIs).

Muita gente acredita que comprar imóveis e deixá-los para alugar é um ótimo investimento.

No entanto, poucos têm dinheiro suficiente para isso, tempo para lidar com burocracias e inquilinos e também o conhecimento para escolher imóveis interessantes.

Por meio dos FIIs, você pode comprar imóveis a partir de 1 real, deixar as burocracias e os inquilinos na mão dos gestores do fundo, além de a escolha dos imóveis já ter sido feita por eles e você poder escolher exatamente aqueles que mais gosta.

Para quem deseja uma renda passiva mensal, acredito que não haja investimento melhor, pois você recebe aluguéis mensalmente como se fosse dono direto de imóveis.

Além disso, esses aluguéis são isentos de imposto de renda e os valores são muito superiores aos de imóveis físicos residenciais.

Enquanto no imóvel físico residencial, você consegue um rendimento líquido mensal de cerca de 0,3 a 0,4%, nos FIIs você consegue 0,7 a 1,0% em fundos com imóveis muito melhores do que você conseguiria comprar por conta própria.

Um investidor que tem um imóvel de R$ 500 mil alugado recebe cerca de R$ 1.500,00 a R$ 2.000,00 por mês.

Se ele investisse esses R$ 500 mil, estaria recebendo de R$ 3.500,00 a R$ 5.000,00 com muito menos risco e esforço.

É claro que também existe o risco imobiliário de não conseguir inquilinos e os imóveis ficarem vazios. Isso normalmente faz com que a cotação dos fundos caia, o que traria um prejuízo virtual temporário para o investidor.

No entanto, esse é o mesmo risco de um imóvel físico. A diferença é que, no imóvel físico, você não está interessado em saber a todo momento quanto ele está valendo, mas pode ter certeza que em momentos de crise imobiliária ele se desvaloriza.

O importante é você saber como selecionar os melhores fundos imobiliários para se investir.

6) Dica Extra: Resgate de Investimentos

É claro que investimentos que geram rendimentos periodicamente acabam sendo mais interessantes para o objetivo de renda passiva.

Porém, é possível também investir em títulos com liquidez, como o Tesouro Selic, e fazer resgates mensalmente para lidar com os gastos.

O importante ao fazer isso é sempre procurar resgatar um valor que seja rendimento real, ou seja, acima da inflação para que o seu principal investido não perca valor ao longo do tempo.

Leia este outro artigo para saber como calcular a rentabilidade real.

Outra maneira que pode ser interessante de gerar um fluxo mensal é investindo nas LCI/LCA de curto prazo do Banco Daycoval.

Investindo um pouco todos os meses, quando esses títulos começarem a vencer, você terá algum vencendo em cada mês para caso você precise do dinheiro.

Considerações Finais

tesouro-direto-vale-a-pena-1

Agora, você já sabe quais são os tipos de investimento que podem gerar renda passiva mensal para auxiliar no dia a dia.

Como os títulos do Tesouro Direto têm datas fixas para a distribuição desses rendimentos, você pode utilizar a LCI do Intermedium para preencher os meses em que não há cupons do Tesouro.

Os fundos imobiliários são interessantes por terem distribuição mensal, enquanto as ações e debêntures podem complementar esses ganhos com uma renda mais gorda em determinados meses.

Como não sabemos exatamente os meses em que haverá essa distribuição, fica difícil considerar como renda recorrente, então considere como um 13º salário que pode vir durante diferentes meses do ano!

E você? Investe em algum outro tipo de investimento que distribua os rendimentos periodicamente?

Deixe um comentário dizendo qual a melhor estratégia em sua opinião!

Grande abraço!

Vitor Hernandes

  • Marcos de Paula

    Vitor, sugiro vocês DP Jornada criarem um quadro geral dos ativos e opções para investir

  • William Nunes Pinheiro

    Tenho 22 mil investidos em IPCA 24,35,26,19 e LTN23, nos ultimos 12 meses os rendimentos foram excelentes, mas este mês particularmente nos últimos 15 dias chegou a ficar negativo em R$1,70, não entendi o motivo. Tenho cerca de R$800,00 a R$1.000,00 por mês para investir, religiosamente, gostaria muito de diversificar, mas nunca sei qual o melhor caminho aí vou sempre no seguro que é o TD.

    Excelente matéria, obrigado!

  • Fala, Marcos!

    Obrigado pela sugestão! Vamos ver o que dá para fazer a respeito.

    Grande abraço!

  • Fala, William!

    Os títulos Tesouro IPCA+ e Tesouro Prefixado sofrem marcação a mercado. Eles se valorizam ou desvalorizam de acordo com a expectativa de juros futuros.

    A rentabilidade de quando você compra só é válida quando você carrega o título até o vencimento.

    Entre no nosso grupo do Facebook, onde discutimos diariamente sobre esses assuntos: http://jornadadodinheiro.com/grupo/

    Com certeza, isso vai acelerar seu aprendizado em outros investimentos.

    Grande abraço!

  • Boa recomendação da LCI do Intermedium. Abri recentemente uma conta digital lá e estava namorando esses papéis. Resgatei uma parte das NTNBs que venceriam em 2019 e coloquei nesse papel, prolongando o prazo, ganhando e diversificando um pouco mais.

  • Mariano

    Excelente artigo, Vitor! Estava procurando algo exatamente sobre este tema. Sobre ações, geralmente empresas de quais setores distribuem mensalmente? Seriam os bancos?

  • Muito bom, Andre!

    Realmente, essa LCI está muito boa para diversificar em renda fixa!

    Você já está no nosso grupo do Facebook?

    http://jornadadodinheiro.com/grupo/

    Grande abraço!

  • Fala, Mariano!

    As empresas que sei que distribuem mensalmente são Itaú e Bradesco. Não sei se mais alguma distribui com essa frequência, mas Banco do Brasil costuma distribuir várias vezes ao ano também (a cada 2 meses mais ou menos).

    Grande abraço!

  • Ainda não, Vitor, mas vou entrar! Obrigado e abraço!

  • William Nunes Pinheiro

    Olá!

    Sim, eu já sabia que eles podem apresentar resultados negativos de acordo com os juros futuros, não me preocupo com esta variação pois irei levar estas aplicações até o final, mas eu gostaria de saber como consultar estas informações, por exemplo, o que houve nestes últimos dias que levaram a esta variação, ou melhor, como funciona esta tal expectativa dos juros.

    A minha tranquilidade está no colchão de segurança, que está investido em Tesouro Selic.

    Abraço e obrigado!

  • Fala, William!

    A rentabilidade dos títulos costuma variar em função do DI futuro, que é a expectativa de juros para os próximos anos.

    Nesta página, você pode acompanhar as cotações deles: http://br.advfn.com/investimentos/futuros/di-depositos-interfinanceiros/cotacoes

    Espero que tenha ajudado!

    Grande abraço!

  • Savio

    Parabéns pelo artigo, Vítor! É bom saber que há outras opções para contar com uma “graninha surpresa” na nossa corretora de vez em quando. Mas, fazendo uma planilha certinho, seguindo as várias possibilidades que você deu nesse artigo que você escreveu, podemos planejar direito e o elemento surpresa passa a ser, digamos, previsível. Abraços!

  • Muito obrigado, Savio!

    Exatamente! Muito bom ver aquele pingado extra!

    No caso, as ações são as mais imprevisíveis em termos de distribuição, pois nem sempre ocorre nas mesmas datas.

    Mas é possível ver que dia será a distribuição quando a empresa anuncia.

    Grande abraço!

  • Robson P. Santos

    Além desses penso em CRI e CRA, tem mais algum ai povo???

  • Fala, Robson!

    Onde você consegue CRI e CRA diretamente? Pela XP?

    Porque normalmente o valor inicial é bem alto.

    Grande abraço!

  • Robson P. Santos

    A socopa sempre coloca CRI e CRA a partir de uns 1000. E tem bastante opções.

  • Bom saber! Nunca cheguei a ver isso lá.

    Enfim, o maior problema que vejo é o risco, conforme respondi para você no outro artigo, mas não deixa de ser uma opção para diversificação.