COMO CONTROLAR OS GASTOS DO DIA A DIA

FIANCAS

Como controlar os gastos do dia a dia?

Quem ganha um salário mínimo sempre alega que não tem como poupar um pouco de dinheiro todos os meses. Mas também já vi pessoas que ganham 30 mil por mês reclamarem da mesma forma.

O que impossibilita a pessoa de guardar alguma quantia parece ser muito mais a organização financeira do que o quanto ela ganha de fato, e essa organização financeira depende muito dos impulsos por comprar, gastar e consumir, pois, se a pessoa tentar controlar seus impulsos, ela estará mais disposta a anotar os seus gastos durante o mês.

Entretanto, se o consumo for descontrolado, a pessoa terá mais dificuldade em anotar seus gastos, pois isso poderá gerar uma dor emocional ao ver o quanto ela mesma está sendo descontrolada com o uso do seu dinheiro.

Como faço para ter esse controle?

Basicamente, para começar a ter um controle financeiro, o indivíduo tem que abrir mão do status social e compreender que status nada mais é do que comprar o que você não precisa, com o dinheiro que você não tem, para impressionar quem você nem conhece, a fim de se tornar uma pessoa que você não é.

Pense nisso!

Para quem recebe no início do mês e espera chegar ao final do mês para ver se sobra algum dinheiro para guardar, lamento, mas dificilmente você conseguirá guardar um bom dinheiro e construir um patrimônio.

Isso ocorre porque a tendência natural é usarmos o dinheiro todo ao longo do mês com as necessidades básicas e com alguns confortos de bens e serviços que nos dão prazer, ao ponto de “sobrar mês no final do salário”.

Aí entramos no modo “se vira nos 30” e conseguimos com muita economia passar a última semana do mês apertado, rejeitando qualquer festinha, restaurante japonês então, nem pensar. Acabamos comendo macarrão com sardinha enlatada sozinho em casa e se atualizando da programação da TV.

Você se enxergou em situação semelhante?

Então, espere um pouco! E se invertermos a ordem dos acontecimentos?!

Pague a si mesmo primeiro

Podemos criar algumas regras de como nos comportar com o nosso salário, com algum dinheiro extra de algum serviço a mais ou até mesmo sobre uma boa quantia que recebemos daquele processo na justiça que se enrolou por anos, basta aprendermos a pagar a nós mesmos primeiro!

No mês seguinte, tente reservar 10% do seu salário para a construção do seu patrimônio. Considere isso como uma conta que vence no mesmo dia do seu pagamento. Você deve fazer isso pelo bem do seu futuro. Depois disso, você pode começar a pagar as suas contas básicas do mês.

Coloque esses 10% poupados na caderneta de poupança mesmo. Rende pouquinho, mas ela tem uma função maravilhosa, pois a caderneta de poupança é de fácil acesso a todos e, por isso, ela possibilita a criação do hábito de guardar uma quantia todos os meses.

Enquanto isso, aproveite para estudar sobre outras formas de investir. Quando isso se tornar uma rotina, você já poderá passar para investimentos mais rentáveis, como o Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, LC, etc.

No início do processo de poupar, você pode começar com 10%. Pode ser que seja muito, então tente 5%. Porém, recomendo que não comece com mais que 10%, pois pode acontecer de se apertar demais no final do mês e acabar desestimulando o hábito de guardar. Deixe para aumentar essa porcentagem daqui uns 2 ou 3 meses, caso perceba que é possível. Para quem é solteiro e mora com os pais, é bem provável que consiga guardar 30% facilmente!

Comece assim: guarde um dinheirinho logo que receber o pagamento. Com isso, você poderá desfrutar do restante do mês do mesmo modo que antes. Pode ser que chegue na última semana do mês e tenha que começar a “se virar nos 30” novamente, mas aí tudo bem, pois você já resolveu uma parte do problema guardando o dinheiro que fará você crescer e no futuro proporcionará a tão sonhada liberdade financeira.

E como se organizar para não precisar “se virar nos 30”?

Agora vem a parte de não deixar a coisa chegar ao ponto que tenha que “se virar nos 30”. Para isso, precisamos fazer um controle financeiro. Não acredito em uma fórmula mágica, mas posso sugerir aquilo que deu certo pra mim.

Imprimo uma tabela onde coloco todos os gastos ao longo do mês, desde as contas básicas, gorjetas, aquele cafezinho de sempre, tudo mesmo!

Podemos usar aplicativos de celular para isso. Já usei, mas voltei ao velho papel e caneta, pois achei mais eficiente. Tenho dois motivos para fazer essas anotações:

1) Adquirir sensibilidade de quanto gasto por dia e por semana. Só pelo simples gesto de anotar em um papel me faz guardar na mente aquele valor alto de algum pagamento de algo supérfluo daquela semana e isso me inibe de acumular novos gastos altos e impulsivos. Assim, eu percebo que essa semana já gastei muito e começo a me conter nos próximos dias.

2) Esta é a parte que considero mais importante. Com essas anotações em mãos, no final do mês, faço um balanço para saber aonde está indo o dinheiro e o que posso fazer para economizar mais. Separo entre dois tipos de gastos: aqueles em que talvez eu possa avaliar a hipótese de diminuir o gasto ou até mesmo cortar (isso sem esquecer que devo manter meu lazer para me manter feliz) e aqueles gastos que não posso fazer nada para mudar coloco em outra coluna, como aluguel, conta de energia, padaria, etc.

O que se classifica um gasto como possível ou impossível de ser reduzido é bem pessoal, não tem uma fórmula pronta, cada indivíduo/família deve classificar seus gastos de acordo com a sua vida particular.

Certa vez, separei e classifiquei os meus gastos da seguinte forma: percebi que comi pizza 6 vezes no mês, batata recheada apenas 2 vezes, comprei vinho 3 vezes. Para mim, são itens supérfluos. Servem para o meu prazer, sim, mas tenho que ser honesto comigo mesmo e perceber que nada disso é imprescindível. Então, estipulei uma regra de redução desses gastos.

Como funcionou esse planejamento?

Nos próximos meses, comeria pizza apenas 3 vezes, batata recheada 2 vezes e vinho seria reduzido para 2 vezes no mês. Porém, qual a motivação de fazer isso?

Você precisará fazer a seguinte conta: cada pizza custa R$ 35,00, o vinho custa R$ 20,00. Portanto, como deixarei de comer 3 pizzas ao mês e 1 vinho a menos, estarei economizando 3 x 35 = 105, somando ao vinho, dá R$ 125,00 ao mês. Agora um detalhe importante dessa conta: no ano todo, isso dá R$ 1.500,00! Será que não vale a pena o esforço para ter economizado essa quantia?

Assim, podemos comprar a TV dos sonhos, fazer aquela viagem em um final de semana, comprar uma máquina de café espresso (que, por sinal, custa menos da metade disso), alcançar a liberdade financeira! Empolgue-se com essa ideia e coloque em prática a partir de hoje! E seja mais rico a cada ano!

Como é muito difícil sobrar dinheiro no final do mês, mas todo mundo sabe “se virar nos 30”, resumo aqui a ideia de “se pagar primeiro”.

Lembre-se: é muito ruim quando acaba o dinheiro no fim do mês e você fica esperando receber o próximo salário, então que tal colocar como o primeiro pagamento da sua “Ficha de Pagamentos” 10% do salário transferido para a poupança como uma forma de pagar a si mesmo primeiro?

Vamos supor que você ganhe R$ 1.000,00. Multiplique isso por 0,1 e verá 10% de qualquer quantia. Nesse caso, temos R$ 100,00.
Transfira esse valor para a poupança e anote na Ficha de Pagamentos assim: “Poup 10% salário”. Pronto, acabou de fazer o seu primeiro pagamento a si mesmo!

Parabéns, você deu um enorme passo rumo ao seu crescimento financeiro e emocional! Você precisou de autocontrole e muita disciplina para fazer isso! Parabéns, mesmo!

E quais são os próximos passos?

Em alguns meses, você se surpreenderá. Antigamente, não sobrava nada no final do mês e um belo dia você tem o hábito de guardar 10% (ou mais) todo início de mês e ainda percebe que sobrou uns R$ 150,00 do mês anterior! Então agora é a hora de gastar?

Não!

Tenha serenidade, perceba o gostinho de guardar essa grana também, anote o que sobrou no mês anterior e coloque na poupança, anotando na ficha de pagamento assim: “Poupança do mês anterior”.

A princípio, pode parecer pouco, mas esses “restos” do mês anterior já sobraram mesmo. Um novo mês começou e você viveu muito bem sem esse dinheiro, então dê ele para você próprio no futuro guardando e investindo sempre!

Caso receba um aumento no salário, mas nada nas suas despesas aumentaram no mesmo mês, que tal fazer o oposto da maioria?
Em vez de sair gastando tudo, finja que não recebeu aumento algum, continue com a ideia de que você está recebendo apenas R$ 1.000,00 por mês no lugar dos R$ 1.100,00 que supostamente você esteja recebendo.

Passe essa diferença de R$ 100,00 para a poupança, além dos R$100,00 que corresponde a 10% do salário e anote assim: “Poupança além do salário”. Isso dará a você R$200,00 guardados logo no início do mês.

Caso comece a faltar dinheiro no fim do mês, mesmo você sentindo que está controlando bem o dinheiro ao longo do mês, então pode ser que os valores de alimentos, combustível e outros gastos aumentaram.

Nesse caso, talvez você precise rever essa ideia e considerar realmente que agora o seu salário é de R$ 1.100,00. Porém, refaça as demais contas: 10% do seu salário é agora R$ 110,00.

E se você começar a receber uma renda extra, devido a mais algum tipo de serviço ou produto que começou a oferecer?

Suponha R$ 600,00 a mais todo mês. Não é muita coisa, mas é um bom dinheiro que tira qualquer um do sufoco. Deixe na conta para ser usado nesse mês apenas 1/3 dessa quantia (R$ 200,00) para gastar normalmente mesmo, afinal, dinheiro é para gastar. O restante, 2/3 dos R$ 600,00 (R$ 400,00), você guarda na poupança e anota assim: “Poupança 2/3 renda extra”.

E se receber uma quantia que deixa você mais emocionado, eufórico, descontrolado?

Caso tenha ficado emocionado, então é muito dinheiro!

Por exemplo, R$ 6.000,00 de uma ação na justiça pode ser muito dinheiro para muita gente, então não vamos usar a regra do 1/3 e 2/3.

Dessa vez, deixe no seu bolso para usufruir durante o mês apenas 1/6 do valor (R$ 1.000,00). Os R$ 5.000,00 restantes você guarda na poupança para realizar grandes sonhos.

Claro, não se esqueça de dar uma entrada na sua “Ficha de Pagamento” assim: “Poupança 5/6 dinheiro extra” e tenha o orgulho de estar se controlando financeiramente e aumentando o seu patrimônio e o de sua família!

Ah, é natural que nesse mês sobre alguma quantia, mas também aproveite esse mês para comprar calças, blusas e sapatos novos caso esteja sentindo necessidade.

Começar não é fácil, mas, depois que começa a guardar todo mês algum dinheirinho, você sentirá uma sensação maravilhosa de liberdade financeira, de maior consciência pelo seu esforço de trabalho e poderá realizar grandes sonhos!

Caso tenha ficado alguma pergunta, deixe um comentário abaixo que responderei com o maior prazer!

Grande abraço!

Thomaz Senna

  • Que seja o primeiro de MUITOS artigos

  • André Luiz Hernandes

    Excelente Thomaz! Depois que lemos parece tão simples!

  • Obrigado André.
    Espero que na prática seja tão simples pra todo mundo como é pra mim, ter uma pessoa da família que centralize as anotações ajuda bastante.
    Qualquer dúvida ou ideia pode falar que terei prazer em ajudar.

  • Obrigado Moacir, vou me esforçar para passar algo de próspero para todos.

  • Guilherme Fellet

    parabéns, Thomaz. Texto limpo e informativo!

  • Obrigado Guilherme, e vamos prosperar!

  • Leonardo Savian Batistella

    Fácil de entender, parabéns! Agora é aplicar este ensinamento de ouro. Força de vontade e foco é o lema!

  • Obrigado Leonardo!
    Pode ser difícil no início devido a uma mudança de hábito, mas com certeza será recompensador ganhar uma liberdade financeira por ter se esforçado em família a economizar para realizar um sonho maior .

  • Janete Barbosa

    Texto de linguagem simples, mas com dicas valiosíssimas!!! Obrigada por compartilhar…

  • Anderson Henrique Chaves

    Excelentes dicas professor.
    Devemos ter em mente, principalmente que a maioria das pessoas perde dinheiro por comprar coisas supérfluas e adquirir passivos ruins, como diz muito Robert Kiyosaki no livro Pai Rico, Pai Pobre.

    Muitas das vezes o desejo de ostentação é suficiente para consumir uma renda mensal que para muitas pessoas pode ser espetacular, mas cansamos de ver jogadores de futebol, cantores, atores de hollywood quebrados.

    Mas quebrados como, se eles ganham milhares de reais por ano?
    È importante perceber que nas finanças, existe uma torneira (sua renda mensal), e um balde furado.
    O balde serve para acumular patrimonio. Os furos são os gastos que podem fazer com que toda a água da torneira vá embora.

    Se você tem gastos controlados, significa que o furo é bem pequeno, e portanto o balde irá transbordar.
    Quando isso acontecer, é hora de pensar em colocar um outro balde embaixo que seria o balde dos investimentos. Porém esse outro balde é mais interessante pois, se cheio de bons ativos, o que cai da torneira e sobra nesse balde é multiplicado mes a mes sob juros compostos. Ou seja, voce não faz o menor esforço para que ele cresça ao longo do tempo. Basta controlar lá em cima o furo do balde, e se possível, aumentar o fluxo da torneira (renda extra, freelance, um outro trabalho de meio periodo, uma consultoria que você presta, ou fluxo de ativos geradores de renda como fiis e açoes pagadoras de dividendos).

    Por isso é tão importante não atrelar o padrão de vida ao salario ganho. É bem comum alguem receber promoção e comprar uma casa maior, trocar de carro todo ano, comprar roupas e joias caríssimas. Pois nesse caso, mesmo que haja várias torneiras, o furo do balde é tão grande que não dá nem para encher o primeiro, e muito menos transbordar para o balde dos ativos geradores de renda.

    Abçs e bons investimentos!!

  • Fala grande Anderson!
    Geniais as suas idéias dos baldes, eu já pensei em algo similar lembrando daquele episódio do Chaves que tem goteiras na casa da dona Florinda…rs…dependendo do furo que tem embaixo do balde, não adianta jogar um salário milionário no balde todo mês, que ele nunca irá transbordar, só tampando esses furos indesejados faremos o balde transbordar …hehehe…muito bom, muito bom!

  • Anderson Henrique Chaves

    Fala Professor RF. Tudo certo contigo?
    Na verdade a metáfora é do Mark Ford, no livro 11 segredos (tenho em pdf).
    Lembro desses conceitos muito bem, pois são fáceis de explicar e entender.
    Como voce disse muito bem, dependendo do furo, não há salario que aguente. Apenas tampando os furos e aumentando a vazão da torneira é que alcançamos a independencia financeira.

    forte abç e bons investimentos

    ** toda vez que preciso fazer um calculo da rentabilidade real da NTNB longa pra explicar pra galera eu lembro de voce hehehe
    sucesso!!

  • Leandro Souza

    10% do salário bruto ou líquido?

  • Fala, Leandro! Sempre que fazemos essas alocações de percentuais, devemos pensar em salário líquido, pois é o que de fato está sob nosso controle!

    Grande abraço!

  • claudiokings si

    Oi Thomaz, obrigado pela mensagem! Certamente é possível abdicar de práticas do cotidiano (vícios econômicos) afim de se estabelecer um planejamento orçamentário mais equilibrado! Minha dúvida é a seguinte: Possuo um ganho mensal de 5mil, mas tenho um emprestimo consignado de 50 meses de 1300 reais descontado na folha. Fora isso, tenho as dívidas “normais”(luz, água, telefone, internet,TV a cabo, combustível para o carro da esposa e para minhas viagens – Eu trabalho fora durante a semana, no interior do estado – planos de saúde – meu e de nosso filho pequeno, além da escola dele e compras de alimentação do mês). Ainda sim, creio que com tudo isso, meu grande problema é o cartão de crédito, que tem vindo muito alto (em média de 1200 a 1500 por mês)… Às vezes tenho que recorrer à empréstimos emergenciais que serão descontados no mês seguinte… A redução no uso do cartão é fundamental, mas aqui vai a pergunta: Na iminência de receber um pagamento pessoal que emprestei a um amigo no valor de 6mil, seria melhor abater no cartão de crédito e guarda-lo de férias em seguida no fundo do baú, ou a idéia poderia ser poupar esse valor é dar uma apertada nas compras ao ponto de ir abatendo gradualmente os valores do cartão de crédito? Se puder ajudar, eu já agradeço! Abraços!

  • Patrick Proença

    Um jeito fácil de controlar os gastos e finanças pessoais é utilizando o FLUCA.
    Um gerenciador financeiro simples, rápido e descomplicado e o melhor é de graça ainda

    http://www.fluca.com.br

  • Douglas Ribeiro

    Bastante completo e claro! Utilizo há pouco tempo aplicativos para controle de finanças e posso recomendar dois do que mais gostei: Mobills (mais completo) e Minhas Economias (design excelente). É uma excelente forma de ver por onde o dinheiro está “escapando”. Estou no momento conseguindo me pagar 50% todo mês