COMO MONTAR SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA?

fundo_

Como montar sua reserva de emergência?

Quando começamos a estudar sobre educação financeira, um dos principais temas com o qual nos deparamos é sobre a formação de uma reserva de emergência.

Sabemos que nossa vida é cheia de imprevistos. E com nossas finanças não é diferente.

A maioria dos brasileiros vive todos os meses no limite: recebe o salário, gasta tudo o que recebeu (quando não gasta ainda mais) e precisa esperar o próximo mês para fazer novas compras.

E seus sonhos de realizar uma viagem, comprar a casa própria ou pagar uma boa educação para os filhos são sempre adiados.

Até aí, “tudo bem, ainda consigo pagar minhas contas em dia e manter minha vida tranquilamente”.

Mas o que acontece quando o carro quebra? Quando a assistência médica não é suficiente para cobrir algum procedimento? Quando você precisa trocar algum eletro doméstico essencial para seu dia a dia (como a geladeira, por exemplo)? Ou, pior, quando você perde o emprego?

A maioria das pessoas recorre a empréstimos e créditos que terão de ser devolvidos posteriormente com juros altíssimos. No entanto, já vimos que não queremos pagar juros, mas sim recebê-los.

A reserva de emergência serve exatamente para isso: unir o útil ao agradável.

Quando devo iniciar a montagem da minha reserva de emergência?


Imediatamente!
A reserva de emergência é fundamental para qualquer pessoa e deve ser montada antes de começar com outros tipos de investimento.

É com ela que podemos ter a tranquilidade de viver sem a preocupação de que, a qualquer momento, um imprevisto pode acabar com o nosso conforto financeiro.

No entanto, se você ainda tem dívidas, não adianta deixar de pagá-las e começar a juntar uma reserva de emergência. Você continuará pagando altos juros e de nada adiantará o que está poupando.

Antes de mais nada, quite todas as suas dívidas.

“Mas como posso quitar minhas dívidas se o que ganho não cobre nem os meus gastos fixos?”

Nesse caso, assim que receber seu salário, separe 10% desse montante antes de pagar qualquer outra conta.

Esses 10% serão destinados ao pagamento das dívidas. Com os 90%, você poderá pagar seus gastos restantes do mês.

Além disso, veja se realmente não há nada de seu orçamento que possa ser cortado, ou seja, se é algum gasto supérfluo, como aquele cafezinho a mais que toma todos os dias, não por vontade mas simplesmente por hábito.

Para auxiliar nesse processo, coloque todos os gastos no papel ou na planilha e aprenda como controlá-los.

É importante também ressaltar que gastos anuais, como IPTU, IPVA, presentes de datas comemorativas (aniversários, Natal, Páscoa) e materiais escolares, não são considerados imprevistos e não devem ser pagos com a reserva de emergência, mas sim com um planejamento de separar antecipadamente os valores destinados a essas despesas.

Depois de feita essa organização, você poderá começar a montagem de sua reserva.

Quanto devo disponibilizar para a montagem da reserva de emergência?

Assim como mencionado no caso das dívidas, logo que receber seu salário, imediatamente destine de 10 a 20% para a montagem de sua reserva de emergência.

É claro que você pode separar ainda mais do que isso, mas recomendo o mínimo de 10% para que leve menos de 1 ano para você já ter reservado ao menos o equivalente a um salário inteiro.

Obviamente, quanto mais você conseguir guardar, mais rapidamente conseguirá construir essa importantíssima reserva.

Quanto devo acumular na reserva de emergência?

Muitos educadores financeiros sugerem a montagem de uma reserva que permita que você se sustente por 6 meses a 1 ano.

Essa questão depende muito do seu perfil.

Se você é aposentado e/ou já em uma idade avançada, não pode correr o risco de ficar muito tempo sem uma reserva, pois pode não ter disposição para correr atrás de outros meios de renda no caso de algum imprevisto. Além disso, imprevistos com relação à saúde têm mais chance de ocorrer nessa idade.

Se você é casado, tem filhos e está na meia idade, também precisa ter uma reserva, já que há outras pessoas que dependem da sua renda.

Se você é solteiro e jovem, talvez ainda não tenha gastos tão altos e não precise se preocupar tanto com uma reserva de emergência de valor tão elevado.

Se for funcionário público, tem uma estabilidade maior e uma preocupação um pouco menor.

Se você for autônomo, já é mais dependente da reserva, pois seu fluxo de renda mensal não é fixo.

Não há um número ou fórmula mágica para definir esse valor, mesmo porque nunca sabemos quando (e se) algum imprevisto acontecerá.

Pode ser que você tenha uma reserva de emergência no valor de R$ 50.000,00 e, de repente, necessite de um procedimento médico que custe R$ 100.000,00.

Pode ser que você tenha uma reserva de R$ 20.000,00, perdeu o emprego, mas sua família gaste R$ 4.000,00 por mês e já se passaram mais de 6 meses e você não conseguiu uma nova recolocação no mercado.

Nesses casos, de nada adiantou ter feito a reserva de emergência?

Claro que adiantou!

Preferia ter de pagar os R$ 100.000,00 sem ter nenhum centavo no bolso? Pegar um empréstimo desse valor integral e ter que pagar juros exorbitantes?

Então, cada centavo da reserva de emergência é importantíssimo!

Agora a próxima questão é…

Onde deixar investido o dinheiro para a reserva de emergência?

Muitos defendem que a reserva de emergência deve ser mantida em um investimento seguro e de rápido acesso.

Por esse motivo, dizem que a poupança é o ativo ideal para esse propósito.

Discordo.

Sinceramente, depois que o Tesouro Direto mudou a regra permitindo resgate todos os dias, com liquidação no dia útil seguinte, não vejo utilidade nenhuma para ter qualquer valor na poupança (principalmente para quem usa cartão de crédito para a maioria das compras).

Hoje é muito tranquilo montar a reserva de emergência no Tesouro Selic. Ele é o que eu chamo de “a nova poupança” e você pode ler mais detalhes sobre o funcionamento dele neste artigo.

As vantagens dele é que sua rentabilidade é muito superior à da poupança (que, aliás, nem considero um investimento), além de ser mais seguro, pois é garantido pelo Tesouro Nacional.

A principal crítica com relação a esse uso é que a liquidez dele não é imediata, ou seja, você solicita o resgate agora, mas só receberá o montante no próximo dia útil.

Concordo que, às vezes, isso pode ser um pequeno empecilho caso você queira o dinheiro imediatamente.

Mas, convenhamos, existe realmente algum imprevisto que não possa esperar UM dia para ser pago?

Caso realmente o “imprevisto” cobre o dinheiro na hora, você provavelmente poderá passar um cheque ou pagar no cartão de crédito. Em último caso, pedir empréstimo a algum conhecido, garantindo que pagará tudo no dia seguinte.

“Ah, mas o valor pode ser alto demais”. Algum estabelecimento realmente cobrará quantias exorbitantes, exigindo o pagamento na hora e em dinheiro?

Caso você saiba de algum caso, deixe um comentário para que todos nós fiquemos atentos.



Agora, por que toda essa discussão?

Será que o valor que você está deixando de ganhar no Tesouro Selic realmente vale essa simplicidade de resgate imediato da poupança?

Poupança x Tesouro Selic

Decidi, então, projetar a rentabilidade de duas reservas de emergência de valores equivalentes para verificar o quanto você está deixando de ganhar simplesmente pelo fator da liquidez imediata.

Se quiser simular os meus cálculos, baixe esta planilha:

BAIXE SUA PLANILHA AQUI


Para a simulação dos cálculos, considerei a taxa Selic atual (14,25% ao ano) e uma rentabilidade de poupança projetada de 8,73% ao ano (0,7% ao mês, que é o patamar da poupança este ano), mesmo que ambas sejam historicamente mais baixas.

O cálculo da poupança é feito com base mensal e não há nenhum custo envolvido.

O cálculo do Tesouro Selic é com base diária (somente dias úteis, no qual considerei 252 dias úteis ao ano) e levo em consideração a taxa de administração do Tesouro de 0,3% ao ano e o imposto de renda referente ao período para termos a rentabilidade líquida e estar nas mesmas condições de comparação da poupança.

Você também pode simular com os valores que desejar, os que você julgar uma média mais precisa.

Simulando uma reserva de emergência de R$ 20.000,00, que seria um valor até considerado baixo para uma reserva, vejamos qual seria a diferença entre as duas aplicações*:

tabela_selic-poupanca

*Fiz a projeção mais longa a cada 6 anos, pois, como o tempo médio de duração do título Tesouro Selic é de 6 anos, a cada novo resgate deve ser paga uma nova taxa de imposto de renda. Isso também foi considerado no cálculo.

Não, você não leu errado! O número que realmente chama muita atenção aqui é o R$ 24.209.261,93 (mais de 24 milhões de reais!). Deixei essa simulação propositalmente para você compreender a diferença gritante que os juros compostos podem gerar no longuíssimo prazo.

Obviamente, ninguém quer esperar 60 anos para colher os frutos, mas veja que, em 24 anos, a pessoa que investiu no Tesouro Selic multiplicou seu dinheiro em mais de 17 vezes, enquanto aquele que deixou a reserva na poupança multiplicou por cerca de 7,5 vezes.

Então isso só importa para o longo prazo?

Bom, primeiramente, a reserva de emergência é aquele dinheiro que queremos ter para nunca precisar usar (assim como seguros em geral).

Portanto, se guardamos uma reserva para emergências e o imprevisto nunca chega, estaríamos deixando de ganhar muito dinheiro com a aplicação na poupança em vez do Tesouro Selic.

No entanto, veja que, mesmo para o curto prazo, já temos uma diferença considerável.

O Tesouro Selic, mesmo pagando taxa de administração de 0,3% ao ano e imposto de renda equivalente a 17,5% com 1 ano de rendimento, ainda gera R$ 536,49 a mais que a poupança. Acha isso pouco?

E uma diferença de R$ 1.467,00 em 2 anos? Será que não daria para trocar algumas mobílias da casa?

Para quem tem uma reserva de emergência com valor superior a R$ 20.000,00, essas diferenças ficariam ainda maiores.

Veja o vídeo em que mostro a utilização da planilha. Tentei fazê-la o mais simples possível, mas quem tiver dúvidas pode deixar um comentário.

Considerações finais

Aprendemos que é muito importante montarmos uma reserva de emergência para garantir nossa tranquilidade, como uma espécie de seguro contra imprevistos.

Separe o valor destinado à reserva de emergência assim que receber o salário. O ideal é que seja, no mínimo, 10% do que você ganha.

É fundamental que todos tenham uma reserva, independentemente da fase da vida, da situação familiar, do tipo de emprego. O que pode mudar é o tamanho que essa reserva deve ter.

Você pode deixar a reserva na poupança, mas essa liquidez imediata tem um preço. E o preço pode ser uma grande quantidade de dinheiro que você está deixando de ganhar.

E aí, a questão da liquidez imediata vale mesmo toda essa diferença que você está deixando de ganhar?

Qual o tamanho da sua reserva de emergência? Qual estratégia usa para montá-la? E em que tipo de investimento ela está alocada?

Caso queira saber mais, recomendamos o excelente conteúdo Tesouro Direto Descomplicado do Rafael Seabra, com tudo que você precisa saber sobre Tesouro Direto e dar o próximo passo. Saiba mais nesse link.

Deixe um comentário com sua opinião para que possamos discutir as ideias!

Grande abraço!

Vitor Hernandes

  • Lìdia Rosa

    Excelente!!

  • William Lima

    Parabéns pelo artigo. Estou começando agora e tenho uma dúvida. Sempre que vejo exemplos de como começar a investir as pessoas falam de um montante a ser investido e que a reserva deve ser de 10 a 20% do salário ou renda. Mas enquanto estou formando esse montante, recolhendo esses 10% ao mês, onde devo aplicar esse valor??. Faço aplicações mensais no TD?? Teria como calcular a rentabilidade ao longo do ano levando em consideração as aplicações mensais??? No tesouro direto cada novo depósito é uma aplicação a parte correto?? portanto pode variar no valor de rendimento e a data de vencimento…

    Obrigado desde já.

  • Obrigado, Lidia! Espero que tenha ajudado!

  • Fala, William! Muito obrigado pelo elogio!

    Enquanto está formando o montante, o ideal é já ir aplicando no Tesouro Selic mesmo, já que você pode aplicar a partir de 1% do valor total do título (o que seria pouco menos de 70 reais no valor atual).

    Então, quando receber o salário, já separa o montante que deseja investir e envia para a conta da corretora para fazer a aplicação.

    Para fazer o cálculo com aplicações mensais, existe uma outra fórmula, que é bem complexa, mas podemos calcular usando o Excel.

    Quando você digita =FV em uma célula, ele indica os números que você deve inserir. Teste assim para ver um exemplo:
    =FV(0,01; 12; 100; 0)
    em que
    FV é o future value, ou seja o valor ao final do cálculo
    0,01 é “rate”, a taxa de 1% ao mês
    12 equivale ao período, no caso simulei 12 meses
    100 é o valor dos aportes mensais
    0 é o valor inicial

    Faça isso e simule com os números que quiser. Em outra oportunidade, montarei uma planilha com esses cálculos. A deste artigo é mais para comparar a poupança e o Tesouro Selic mesmo, e com a intenção de não deixar muito complexa.

    E, sim, cada aplicação é considerada uma nova no Tesouro Direto e você pode ver cada uma individualmente pelo portal dele: https://tesourodireto.bmfbovespa.com.br/PortalInvestidor/login.aspx

    Aproveito também para convidá-lo a participar do nosso grupo de discussão no Facebook:
    https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Espero que tenha ajudado!

    Grande abraço!

  • Renato Venâncio

    Muito bom Vítor. Já tenho uma pequena quantia no tesouro SELIC e já é perceptível a enorme diferença na rentabilidade comparado com a poupança. Bastante esclarecedor o artigo. Parabéns.

  • chrystian

    Muito bom artigo vitor, sem dúvidas vai agregar cada vez mais valor nessa empreitada rumo a independência financeira. É muito bom, ver colegas com objetivos tão coletivos, Parabéns novamente!!!

  • Obrigado, Chrystian! Principalmente pela participação e questionamentos no grupo.

    É esse tipo de ação que faz a gente aprender e crescer muito em termos de conhecimento, sempre buscar aprender coisas novas!

    Grande abraço!

  • Fala, Renato!

    Excelente! Já começou com o pé direito! Começou a estudar investimentos há pouco tempo?

    Participe do nosso grupo no Facebook para fazer perguntas e participar das discussões. Sempre agrega muito em nosso aprendizado:
    https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Grande abraço!

  • Roberto

    Boa noite, Vitor. Disponho de R$ 30.000,0 para investir. Penso em TD (selic ou IPCA). Contudo, possuo um financiamento imobiliário com taxa de 8% ano + TR cujo saldo devedor é de R$ 115.000,00. Seria mais vántajoso amortizar esse saldo usando o valor de que disponho ou investi- lo como fundo de emergencia seria melhor opção?

  • Boa noite, Roberto!

    Quando temos dívidas, costumo aconselhar para que sejam quitadas sempre antes de começar a investir em qualquer outra coisa.

    No entanto, a taxa de financiamento citada é inferior à rentabilidade da maioria das aplicações financeiras atuais.

    Como o valor de que você dispõe não é suficiente para quitar a dívida integralmente, talvez seja mais interessante deixar aplicado em Tesouro Selic e amortizar as parcelas aos poucos (mas com o cuidado de não pagar multas). No Tesouro IPCA, talvez seja interessante investir uma quantia com vencimento em 2019, mas deve ser uma quantia que você não tire antes do vencimento, pois pode gerar perdas (como também pode gerar lucro maior) dependendo da variação das taxas.

    Minha opinião é de que, com o salário, você amortize as parcelas e tente poupar algum valor extra para adicionar ao montante investido todo mês para fazer seu bolo crescer.

    Chegará uma hora que você terá o suficiente acumulado para quitar a dívida e aí poderá decidir se continua com o processo da mesma maneira ou se quita o imóvel de uma vez e recomeça a montagem da sua reserva.

    Pessoalmente, prefiro a primeira opção, pois, com o valor já acumulado, seu montante crescerá mais rapidamente. Além disso, terá uma reserva para outras possíveis emergências.

    Aproveito para convidá-lo a participar do nosso grupo de discussão no Facebook. Lá você pode postar dúvidas e participar de conversas sobre investimentos: https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Espero que tenha ajudado e boa sorte!

    Grande abraço!

  • Roberto

    Obrigado pelos esclarecimentos. Sua análise me ajudou bastante. Parabéns pelo excelente trabalho de todos vocês que fazem o jornada do dinheiro.

  • chrystian

    Vitor Hernandes simulei um deposito de 20K a atual taxa de 14,25 (selic) no tesouro selic. No entanto simulei um resgaste desse valor um ano depois sendo que a taxa caiu para 8%, deu rentabilidade negativa segundo a calculadora do TD. É possível?

  • Obrigado novamente, Roberto!

  • Edson

    Excelente artigo. Parabéns pelo foco dado no artigo mostrando como os juros compostos trabalha a nosso favor, também pela enfase de mostrar a importância da reserva de emergência (algo que nunca queremos usar) para os imprevistos da vida.
    Para compartilhar, tenho uma reserva de emergência em um cdb de liquidez diária com 100% do CDI (banco pequeno) que considero uma boa taxa, praticamente idêntico a LFT e também é um bom caminho para a reserva de emergência
    Forte abraço

  • Fala, Chrystian!

    Simulei aqui e deu um resultado normal. Veja a printscreen.

    Pode tirar printscreen da sua simulação para eu tentar ver o que há de errado?

    Grande abraço!

  • Muito obrigado pela contribuição, Edson!

    De fato, os juros compostos são grandes aliados quando usados a nosso favor. Quando usados contra, podem arruinar nossa vida financeira (como dívidas de cartão de crédito, cheque especial, etc…).

    Esse CDB com liquidez diária e 100% do CDI também é uma ótima opção! Lembre-se somente de que títulos privados têm a cobertura do FGC somente para valores de até R$ 250 mil por instituição.

    Participe também do nosso grupo no Facebook para tirar dúvidas e participar de discussões:
    https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Grande abraço!

  • Kennedy Linhares

    Muito bom o artigo! parabéns Vitor! Analisando as vantagens do tesouro direto x poupança, vou mudar meu forma de investir, desde adolescente aprendi com meus pais a colocar dinheiro na poupança, acho que agora é meu momento de educar eles financeiramente com o tesouro direto! Abraço e muito obrigado!

  • Fala, Kennedy!

    Seus pais deram uma enorme contribuição ensinando você a colocar dinheiro na poupança! Muitos pais não têm a consciência de que se deve ao menos guardar alguma coisa.

    Agora, concordo com você, retribua a eles o favor ensinando-os a aplicar em investimentos mais interessantes!

    A mentalidade de poupador (que é o mais difícil de conseguir) parece que sua família já tem!

    Parabéns e sucesso para vocês!

  • Anderson Bays

    Uma dica importante para as finanças dos casais, é fazer um planejamento de gastos, onde as despesas mensais do casal seja sempre inferior ao menor salário entre os dois, para quando um dos dois ficar desempregado, a família não passe apuros, dessa forma as reservas emergenciais aumenta naturalmente ao longo dos anos.

  • Ótima dica, Anderson!

    Não é algo fundamental, mas com certeza acelera muito o crescimento do patrimônio e dá uma margem de segurança excepcional!

    Queria convidá-lo para participar do nosso grupo de discussão no Facebook:
    https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Grande abraço!

  • William Lima

    Ajudou sim!!!! Muito obrigado!!!

  • Kennedy Linhares

    Essa mentalidade temos sim, tanto que até hoje tenho a lata de leite furada lacrada com cola pra colocar as moedas haha Tudo de bom pra você!

  • Janete Barbosa

    Ótimo artigo, gostei muito das dicas… Obrigada por compartilhar… estou estudando a respeito e a cada dia que leio seu blog aprendo muito… Valeu!!

  • Anderson Henrique Chaves

    Excelente artigo Vitor
    Muita gente tem dúvida se pode usar a reserva de emergência pra outros fins, mas como o proprio nome diz, é apenas para emergências.

    Particularmente eu uso o tesouro selic como reserva de emergência e esqueço dela. Para mim é um dinheiro que eu não tenho e nem entra no cálculo de alocação de ativos. Também gosto de usar uma outra reserva financeira em SELIC para pagamento à vista com desconto, IPVA, IPTU, compra de equipamentos, seguro do carro, etc. Além disso, uso outra reserva também em SELIC como um gatilho para compra de ATIVOS que tenham caído demais como FIIS por exemplo.

    Ainda não usei a minha reserva, pois tem dado pra fazer as compras regulares com o que sobra do salário.
    Importante é saber que cada tipo de emprego exige uma reserva de emergência diferente. Como você citou muito bem, empregos mais arriscados e que não tem salário fixo e são menos estáveis requerem uma reserva mais robusta. Assim como concursados podem se dar o luxo de ter uma reserva menor

    O conceito de reserva de emergência, é temporal. Ou seja, é quanto tempo voce é capaz de suportar sem emprego mantido o seu padrão de vida médio. Gosto de calcular a reserva de emergência não por um valor fixo, mas pelo valor do meu custo de vida vezes o tempo que eu pretendo sobreviver até obter outra fonte de renda.

    abçs e bons investimentos!!!!!

  • Muito obrigado, Janete, pelos elogios e por estar nos acompanhando.

    Com o conhecimento que está adquirindo, com certeza tomará decisões cada vez melhores que levarão ao sucesso financeiro!

    Você já está no nosso grupo de discussão no Facebook?

    Dá uma olhada, que lá o pessoal posta dúvidas e discussões diariamente para aprendermos ainda mais: https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Grande abraço!

  • Fala, Anderson!

    Como sempre, excelentes colocações!

    A sua reserva de emergência conseguiria sustentar você por quantos meses?

    Grande abraço!

  • Janete Barbosa

    Estou, solicitei participar do grupo sim, e de início já estou gostando das contribuições.

  • Anderson Henrique Chaves

    Fala Vitor.

    Minha reserva é bem magrinha. 1,5 x meu custo de vida MENSAL.
    Acontece que por conta do trabalho, muito dificilmente eu seria mandado embora. Portanto, prefiro enxugar a reserva de emergência para me possibilitar alavancar nos investimentos.

    e a tua?

  • Fala, Anderson!

    Realmente, sua situação é muito estável e não necessita de uma reserva muito grande. Somente imprevistos com gastos muito altos é que pesariam na conta, mas nessas horas tentamos vender os ativos que estamos com lucro.

    Minha reserva atual comporta 5 meses dos meus custos.

    Grande abraço!

  • Anderson Henrique Chaves

    Falae Shimada

    Nisso você têm razão. Além do mais, ter um padrão de vida austero e enxuto permite que sua reserva não seja muito robusta também. Imagine gastar 10 mil por mes? Deve ser muito dificil juntar uma reserva dessas, principalmente se o cara for um autônomo por exemplo

    Mas 1,5x ainda está na minha zona de conforto. Além do mais em caso de demissão ainda há a rescisão, pagamento de aviso prévio, fgts, multas. Pensando por esse lado não penso em aumentar mais minha reserva pois até eu receber essa grana ainda tem gordura que acumulei

    abçs e bons investimentos!!!

  • William Moraes

    Muito bom artigo, parabéns.

    Tenho uma dúvida, que na verdade ja fiz essa pergunta la no facebook, mas ainda não ficou claro pra mim…
    em relação ao Tesouro Selic(LFT), que por sua vez podemos fazer uma aplicação miníma de 1% do valor do titulo, certo? minha pergunta é, posso comprar mais de um titulo, ou até mesmo reaplicar algum valor nesse mesmo titulo, ou preciso realmente comprar outro, tenho essa flexibilidade?
    Obrigado.

  • Fala, William!

    Você pode comprar quanto quiser, quando quiser e o título que quiser (desde que esteja disponível).

    O extrato do Tesouro Direto apresentará separadamente para contabilizar os dias corridos, o imposto de renda, as taxas acordadas… mas pode sim comprar o mesmo título.

    Espero que tenha ajudado!

    Grande abraço!

  • William Moraes

    Fala Vitor, muito obrigado por esclarecer essa dúvida, se não for incomodo, tenho outra pergunta.

    Em relação á vendas de títulos, como isso funciona?
    isso se aplica aos títulos tanto pré-fixados(LFT) e os pós-fixados?

    Mais uma vez obrigado.

  • Fala, William!

    Para vender os títulos antes do vencimento, é importante você estudar e entender o mecanismo de cada título, pois eles oscilam de acordo com o mercado e, se você vender na hora errada, poderá ter prejuízo (assim como poderá ter lucro bom também).

    Somente o Tesouro Selic (LFT) pode ser resgatado antes do vencimento sem risco de prejuízo (deixando lá pelo menos um mês).

    Só uma correção: LFT não é prefixado. LFT segue a variação da Selic. O Tesouro Prefixado é o título LTN.

    Aproveito para convidar você a participar do nosso grupo no Facebook também, onde pode tirar dúvidas e participar de discussões: https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Grande abraço!

  • Paulo Sergio Modica Modica

    Parabéns Vitor Hernandes pelo artigo estou acompanhando suas
    dicas e compartilhando obrigado

  • Obrigado, Paulo! Espero que tenha ajudado!

    Aproveito também para convidá-lo a participar do nosso grupo no Facebook:
    https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Lá, você pode fazer perguntas e discutir outros assuntos com a gente e com os demais participantes.

    Grande abraço!

  • Rubens Aurélio Bonomini Junior

    Boa noite Vitor! Ótimo artigo, estava realmente em dúvida quanto a troca da poupança para as LFT no caso da reserva emergencial. Valeu pela ajuda.

    Quanto a simulação da Poupança VS LFT, tenho dois pontos:

    1) A taxa Selic considerada é bastante alta, você acha mesmo que ele se manteria neste patamar por tanto tempo?
    2) No Tesouro Direto existe um limite de R$ 1 milhão por CPF certo?

    Abraço!

  • Fala, Rubens! Tudo certo?

    Muito pertinentes suas perguntas! Vamos lá:

    1) Concordo que a Selic considerada é bem alta, mas eu tinha que decidir um valor e não podia ser um simples chutômetro, mesmo porque não temos um histórico muito confiável de Selic média. Infelizmente, não temos como saber se, no futuro, essa Selic ficará para a história como uma alta ou baixa. Além disso, simulei com o valor da poupança atual, que também está bem acima da média. Quando a Selic cair, a poupança também cairá, então a proporção continuará parecida.

    2) Não há limite de valor que você pode ter investido no Tesouro Direto. Esse limite de 1 milhão que você citou é o valor máximo que pode ser investido em um único mês. Veja aqui no site do Tesouro: http://www3.tesouro.gov.br/tesouro_direto/faleconosco_perguntas.asp

    Aproveito a oportunidade para convidá-lo a participar do nosso grupo de discussão no Facebook também: https://www.facebook.com/groups/662338143896292/

    Grande abraço!

  • Rubens Aurélio Bonomini Junior

    Sensacional Vitor!

    Perfeitas as tuas explicações. Entendi e concordo!

    Já estou fazendo parte do grupo no face! 😀

    Abraço!

  • Paulo Alvarenga

    Obrigado pelo artigo.

  • Paulo Alvarenga

    O problema é que mais de 90% dos casais brasileiros não podem se dar esse luxo, creio eu.

  • Thiago Castro

    Olá, Vítor
    Então se eu comprar um título do Tesouro SELIC 2025 (Como fundo de emergência) e resgatá-lo antes do vencimento, ainda assim, terei um lucro superior a poupança?
    *Estou quase vencendo o medo de investir.rs
    Abraços!!

  • Fala, Thiago!

    Imagino que você se refira ao Tesouro Selic 2021 (não há o de 2025 ainda).

    Sim, esse é um título que sempre se valoriza, ao contrário dos outros títulos do Tesouro.

    Você já está no nosso grupo do Facebook? Lá, discutimos diariamente sobre educação financeira e investimentos. Tenho certeza que a troca de ideias com outros participantes também ajudará muito você a perder o medo.

    http://jornadadodinheiro.com/grupo/

    Grande abraço!

  • Marcos de Paula

    @Vitor Hernandes Deixando um mês o que você teria de vantagem, simplesmente a subtração do IOF? Ou tem mais algum valor?

  • Fala, Marcos!

    Na realidade, o ideal é deixar bem mais do que isso, mas resgatar antes de 1 mês tem a incidência do IOF que você mencionou, e o rendimento será pífio.

    No curto prazo, a diferença para a poupança é bem pequena, como pode ver no vídeo e na tabela, mas a intenção é ter uma reserva que, se tudo der certo, será “vitalícia”, ou seja, é tipo um seguro, cuja intenção é ter para não precisar usar, mas sim para ter uma tranquilidade.

    Espero que tenha ajudado!

    Grande abraço!

  • Savio

    Show de bola por esse artigo, Vítor! Seguindo a sugestão de vocês em outro artigo, abri conta na corretora Easynvest que não cobra taxa nenhuma para Tesouro Direto e estou montando minha reserva no Tesouro Selic. Posso abusar um pouco mais de você? No meu caso, sou funcionário público estatutário, minha mulher é autônoma e tenho dois filhos em idade escolar. O plano de saúde e odontológico da família é descontado direto da minha folha. Quantos salários líquidos meus, no mínimo, eu teria que ter no fundo de emergência? Um já seria suficiente?

  • Fala, Savio! Tudo certo?

    Embora o seu trabalho ofereça um conforto maior quanto à possível perda do emprego, é importante lembrar que esse não é o único tipo de emergência que pode surgir.

    Pode acontecer de precisar consertar o veículo, algum gasto inesperado em casa (como goteira que pode aparecer, por exemplo), empréstimo para alguém próximo que precise de ajuda. Enfim, a gente nunca sabe que tipo de imprevisto pode aparecer.

    Por esses motivos, fica realmente difícil de bater o martelo sobre determinado valor ou quantidade de salários, pois é algo bem subjetivo mesmo.

    Acredito que deva ser a quantidade que o faça se sentir confortável com a decisão. Como você citou um salário, talvez até seja esse o valor que o deixe tranquilo.

    O importante é que, quanto mais investimentos temos, menos necessidade existe para a reserva, pois, em eventual emergência, poderia vender alguma ação, FII ou resgatar algum investimento com liquidez mesmo.

    Essa reserva é mais importante no início da vida de investidor mesmo, que é quando não temos de onde mais tirar.

  • Gustavo Marcos

    Vitor meus parabéns pelos ensinamentos!! Qual produto do tesouro devo ter minha reserva de emergencia?
    Muito obrigado
    Gustavo

  • Valeu, Gustavo!

    O ideal é o Tesouro Selic, mas você também pode utilizar CDBs com liquidez diária como alternativa (nos bancos Sofisa, Intermedium e Daycoval, você encontra essas opções).

    Grande abraço!

  • Gustavo Marcos

    Excelente!! Muito obrigado

  • Lucas Apgaua

    Vale a pena montar uma reserva no Tesouro Selic, mesmo com os juros em queda?

  • Fala, Lucas!

    Vale sim, pois o Tesouro Selic sempre continuará rendendo mais do que a poupança.

    Dá uma lida neste artigo para entender melhor: http://jornadadodinheiro.com/investir/queda-taxa-selic/

    Grande abraço!

  • Mr david

    Existe uma necessidade de um empréstimo de emergência? Um banco de empréstimos ou verilmedig empresa financeira do seu computador? Você tem a ajuda financeira que eu preciso? Pagar suas contas ou ter uma necessidade de comprar uma casa compra empréstimos? Gostaria de ter seu próprio negócio e ajudá-lo com a dívida? Estudante empréstimos você precisa? Baixa taxa de juros de 3% conosco hoje para ajuda financeira. Today.and ver CONTATO EUA: Se o seu crédito não é que temos e-mail: smithcomfortable67@gmail.com