O QUE AINDA NÃO TE CONTARAM SOBRE O SAQUE DO FGTS

saque-fgts-capa

 

O FGTS, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, é um depósito mensal, referente a um percentual de 8% do salário do empregado, que o empregador fica obrigado a depositar em uma conta bancária no nome do empregado que deve ser aberta na Caixa Econômica Federal a cada novo emprego. Tal verba pode ser sacada mediante hipóteses restritas, como a aposentadoria, para a compra da casa própria, na demissão sem justa causa, etc.

Todavia, para o ano de 2017, o Governo lançou uma medida para injetar dinheiro na economia brasileira, liberando os depósitos retidos nas contas inativas do Fundo, possuindo o direito de resgate todo o trabalhador que pediu demissão ou teve seu contrato de trabalho finalizado por justa causa até 31/12/2015.

Muitas pessoas se enquadram nestas hipóteses que a medida trouxe, e irão sacar valores diferenciados, porém independente do valor a ser resgatado, se você é um dos trabalhadores beneficiados, preste atenção no que falarei, pois é preciso que você utilize este dinheiro com sabedoria, e é isto o que este artigo lhe proporcionará.

Primeiramente, independente do valor recebido, não entenda que esta verba é uma sobra, algo que simplesmente apareceu e está sobrando no seu bolso. Saiba que este levante do FGTS é um valor que está lhe sendo adiantado tão somente, e ele é fruto do seu trabalho, portanto, é um dinheiro que você fez por merecer, ele não está sendo um ganho fácil.

Entenda, também, que esta é uma oportunidade de ouro, pois este dinheiro pode significar a sua grande guinada, a sua alavanca para este ano e para 2018, pois conforme você utilizar, em especial se estiver endividado, ele representará um fôlego vital, por isso a importância de utilizá-lo com sabedoria.

Sobre as dívidas…

Bem, falando em utilizar com sabedoria, quero que entenda mais uma coisa, se você está endividado, com contas em atraso, quite as dívidas, até aí é muito simples. Agora se você possui várias dívidas como parcelamentos, financiamentos, etc., porém todas em dia, antes de sair abatendo as parcelas futuras destas dívidas, verifique se a taxa de juros é exorbitante.

A exemplo, se você possui um financiamento de imóvel, onde a taxa de juros ao ano é baixa, como costuma ser, não existe a mínima necessidade de você fazer a famosa quitação regressiva das parcelas como forma de amortizar a dívida, tal como estou vendo a grande mídia aconselhar.

Digo isso, pois se você realizar uma aplicação financeira, como, por exemplo, no Tesouro Direto, onde você será remunerado com juros superiores aos cobrados pelo seu financiamento, então você estará retirando o máximo de aproveitamento deste valor que receberá de FGTS, multiplicando este valor com inteligência financeira.

Em resumo, para o caso de quitar as dívidas, basta apenas você comparar os juros da sua dívida com os juros do investimento que deseja, se a taxa do investimento for superior, não tenha dúvidas, invista. Parece simples, mas algumas pessoas não farão isso, porém, os seguidores da Jornada do Dinheiro com toda a certeza farão, e você é um deles.

Reserva de emergência…

Com as dívidas quitadas ou sem juros exorbitantes, você deve construir a sua reserva de emergência, pois esta é uma bela chance de formá-la. Lembre que reserva para emergências é algo fundamental, e a sua formação deve ser prioridade.

Outros objetivos…

Caso já possua a reserva para emergências, também é uma ótima oportunidade para iniciar a sua reserva de aposentadoria, enfim, acredito que objetivos financeiros não irão lhe faltar, seja trocar o carro, fazer uma reserva para férias, fazer melhorias no imóvel…

Como vimos, objetivos não faltam, investimentos que casem com os seus objetivos, também não.
Mas, como ter a certeza que estou usando com sabedoria este dinheiro?

O método…

Você deve realizar este exercício, vá para um ambiente calmo, pegue papel e caneta, agora escreva todos os objetivos em que você pode usar o FGTS, mesmo que o dinheiro não seja suficiente para tantos planos. Após realizada a lista, com os ânimos calmos, enumere em grau de importância/urgência cada hipótese de uso, lembrando que deve evitar desejos meramente consumistas.

Feito isso, não tenha dúvidas, reserve o dinheiro para aquele objetivo do topo da lista, bastando escolher um bom investimento que case com o prazo do seu sonho. Se conseguir contemplar mais de um objetivo, maravilha.

Agora sim você começou a pensar com inteligência financeira, como você percebeu é algo incrivelmente simples, mas que possui um impacto significativo nas nossas vidas.

Bora lá, começar a fazer o simples!

Leonardo Batistella
Coach Financeiro

  • Marcos de Paula

    Parabéns pelo artigo Batistella. Com certeza vai ajudar muita gente a direcionar o uso dos recursos recebidos do FGTS… um $$ tão suado e que vem em boa hora para muitos!!

  • malanar11

    Acho que apenas comparar as taxas das dívidas e da aplicação para verificar de vale mais apena aplicar ou quitar as dívidas errado. Tem que considerar a rentabilidade LIQUIDA da aplicação. Já vi artigos do tipo, se sua dívida de imóvel for de 0,99% ao mês, aplicando no Tesouro Selic consegue uma taxa superior de 1,02% ao mês. Só que mesmo depois de 2 anos não vale a pena (menos alíquota de imposto, 15%) que resultará em uma taxa líquida de 0,87% ao mês. Não conheço uma dívida que seja menor que 0,87% ao mês.
    Usei a SELIC a 13% ao ano na calculadora do tesouro para verificar os valores.

  • Super Suporte

    rapariga, rapariga… meu fgts já tem destino =/

  • Leonardo Savian Batistella

    malanar11, vocês está certo, entretanto, chamei atenção para a taxa pois ela é a variante principal, evidentemente que as variantes secundárias, tal qual taxa de custódia, imposto de renda, etc. devem fazer parte do cálculo, talvez não tenha deixado isso claro. Mas a lógica do cálculo é essa, e, obviamente, ela funciona, sendo um excelente meio para a escolha entre quitar um financiamento ou investir o valor recebido.
    Obrigado pelo comentário!

  • Leonardo Savian Batistella

    Muito obrigado, Marcos!
    Fico honrado!

  • Alberto Tavares

    Boas dicas! É preciso valorizar o dinheiro fruto de nosso trabalho e saber utiliza-lo da forma mais racional.

    saudaçoes,
    educacaomaisinvestimento.blogspot.com.br