Edson Ichihara

É HORA DE COMEÇAR A INVESTIR!

É HORA DE COMEÇAR A INVESTIR!

É hora de começar a investir! A atual situação econômica do Brasil nos obriga a iniciar imediatamente a nossa educação financeira. Como sei que é difícil vencer o medo de começar a investir, tentarei indicar para você uma estratégia simples, mas eficaz. Talvez você ainda não tenha aberto uma conta na corretora, aprendido a calcular a diferença dos investimentos nem conhecido ótimas oportunidades de investimento. Pensei durante a semana sobre como motivá-lo a realmente começar sua jornada. Tive a ideia de mostrar que, mesmo com Continue lendo

OS SEGREDOS DO FGC – FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS

OS SEGREDOS DO FGC – FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS

Os Segredos do FGC… Espero que você já tenha decidido abrir a sua conta na corretora e escolheu sua corretora com a ajuda de nosso artigo. Mas, como já passei por essa situação, a próxima dúvida que temos é: investir no Tesouro Direto ou nas várias alternativas de renda fixa que a corretora oferece? No nosso último artigo, o Vitor explicou de forma bem didática como realizar a comparação dos ativos de renda fixa. Provavelmente, algumas alternativas da sua corretora possuem uma rentabilidade maior que Continue lendo

SERÁ QUE LEVEI CALOTE DO TESOURO?

SERÁ QUE LEVEI CALOTE DO TESOURO?

Será que levei calote do Tesouro? Descubra os mistérios da rentabilidade negativa do Tesouro e os riscos deste investimento Outro dia, eu estava em casa com minha noiva e ela me perguntou se o Tesouro Direto era realmente bom. Ela iniciou seus investimentos e viu no extrato uma rentabilidade negativa. Ficou preocupada e me perguntou: “Será que levei calote do Tesouro?” Como vejo muitos investidores com essa mesma dúvida, decidi tentar esclarecer a dúvida dela e a de vocês! Conforme o excelente artigo do Vitor Continue lendo

POR QUE COMEÇAR A INVESTIR

POR QUE COMEÇAR A INVESTIR

Por que começar a investir? No início do ano passado, eu vivia tranquilamente. Já pagava uma Previdência Privada (Previdência Tradicional do Banco do Brasil), pagava INSS (o teto máximo, pelo meu empregador) e o que sobrava do salário investia em poupança. Às vezes, até perguntava para colegas sobre outros investimentos, mas ninguém sabia muita coisa. Até minha mãe que trabalhou por 20 anos no banco me dizia para perguntar ao gerente de minha conta. Eu confiava no banco, na previdência privada e no INSS. Porém, Continue lendo