CARTEIRA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS DO JORNADA – 25/03/2019

O tempo voa! Já se passou um mês da criação da Carteira de Fundos Imobiliários do Jornada. Caso não tenha visto o artigo com a montagem do portfólio, leia aqui.

Iniciamos a carteira com 10 mil reais e a ideia é aportar 1 mil reais todo mês, mais o valor restante em caixa e os rendimentos recebidos no mês.

Veja a seguir o que aconteceu durante o mês de março:

A carteira apresenta uma valorização de R$ 355,00, ou seja, 3,55% sobre o valor investido.

Essa valorização foi muito devido ao preço de entrada no GGRC11, que compramos na emissão, e o preço de mercado já reflete uma alta significativa.

Nosso portfólio ficou da seguinte maneira:

Carteira de Fundos Imobiliários do Jornada – 25/03/2019

Porém, como sempre ressalto, o importante da carteira de FIIs não é a valorização, mas sim os rendimentos. Então, vejamos agora os rendimentos recebidos durante o mês de março:

Rendimentos da Carteira de Fundos Imobiliários do Jornada – março/2019

O rendimento do BBPO11 veio em linha com o esperado. Ele tem contratos atípicos, que alteram o valor da distribuição somente quando há reajuste pela inflação.

O FVPQ11 distribuiu abaixo da média dos outros meses, mas acima do mesmo mês do ano passado. A expectativa é que distribua rendimentos melhores nos próximos meses.

O GGRC11 não teve rendimentos para a carteira este mês, pois compramos na emissão, que liquidou no dia 07/03, ou seja, após a data-com direitos aos rendimentos.

O fundo OUJP11 distribuiu algo em linha com o esperado, pois, com a mudança do regime de distribuição, ele tem resultados de correção monetária acumulados.

Por fim, o TGAR11 pagou menos do que eu esperava. Como as obras no Shopping Paraíso Mega Center estão praticamente finalizadas, eu esperava que desafogasse boa parte das despesas do fundo. No entanto, por se tratar de um fundo de desenvolvimento, a previsibilidade dele é muito menor e pode direcionar recursos para os outros projetos. Além disso, o relatório gerencial também informa que houve uma inadimplência de 15% no shopping.

Portanto, recebemos no mês de março o valor de R$ 55,69 em rendimentos, o que representa um yield on cost de 0,56%, que é bem baixo, mas considera um rendimento zerado para GGRC11.

No próximo mês, teremos um aumento bastante considerável nos rendimentos, em termos absolutos e percentuais.

Por fim, com os rendimentos recebidos (R$ 55,69), o caixa restante (R$ 46,60) e um novo aporte (R$ 1.000,00), ficamos com R$ 1.102,29 para investir.

Optei por comprar 6 cotas do AEFI11, com preço médio de R$ 159,85, totalizando R$ 959,10.

Com os R$ 143,19 restantes, comprei mais 1 cota de BBPO11, com o custo de R$ 139,15. Assim, o novo preço médio em BBPO11 ficou em R$ 137,65 e agora com 15 cotas, totalizando R$ 2.064,75 investidos nesse fundo.

Para finalizar, cometi um erro no vídeo, pois, para calcular o caixa, subtraí R$ 137,74 em vez de R$ 139,15. Portanto, o caixa restante fica em R$ 4,04.

Caso tenha dúvidas se deseja realmente investir em fundos imobiliários, leia o artigo “Vale a Pena Investir em Fundos Imobiliários?” para conhecer os prós e contras desse investimento.

E você que já investe: que fundos imobiliários tem em sua carteira? Quais você não teria? Deixe seu comentário!

Até a próxima atualização! Grande abraço!

Vitor Hernandes