6 EXCELENTES NOVIDADES NO TESOURO DIRETO!

novidades-tesouro-direto-capa

 

Nos últimos 2 anos, a base de investidores no Tesouro Direto mais do que dobrou!

Em janeiro de 2015, o Tesouro Direto contava com 463.344 investidores cadastrados. Já em outubro de 2016, esse número superou a marca de 1 milhão (1.024.433), o que representa um aumento de 121,09% em menos de 2 anos! (Você encontra esses dados nos relatórios do Tesouro Direto, clicando aqui)

Isso muito se deve a você que está cada vez mais buscando conhecimento de como melhorar e otimizar seu orçamento.

E também se deve a excelentes melhorias que o Tesouro Direto têm realizado para tornar cada vez mais fácil e seguro o investimento em títulos públicos.

Em março de 2015, tivemos grandes alterações que denominaram de “primeira onda de melhorias”, entre as quais:

1) Reformulação do site do Tesouro Direto
2) Criação do orientador financeiro
3) Facilitação nos nomes dos títulos
4) Liquidez diária
5) Melhoria no Portal do Investidor do Tesouro Direto
6) Criação de newsletter
7) Redução do investimento mínimo de 10% para 1% do valor do título

Todas essas alterações contribuíram muito para popularizar esse tipo de investimento, que tem crescido a cada dia!

Agora, em dezembro de 2016, o Tesouro Direto anunciou mais algumas mudanças que devem melhorar ainda mais a praticidade dele!

Sem mais delongas, vamos às novidades!

1) Aplicativo Oficial do Tesouro Direto

Finalmente, chegou a principal novidade que os investidores buscavam: um app oficial para consultar e investir.

Muitos usavam outros apps não oficiais, que muitas vezes acabavam mostrando dados incorretos e desatualizados.

Ele já está disponível para Android e pode ser baixado neste link. No entanto, os usuários de iOS precisarão esperar mais um tempo para utilizar essa ferramenta.

A interface do app é muito semelhante à do Portal do Investidor do Tesouro Direto, tendo praticamente as mesmas páginas e informações.

No entanto, o que não gostei muito é que as tabelas não foram bem adaptadas ao layout do celular, ficando todas cortadas e tendo que rolar a página para o lado para conseguir visualizar outras informações.

Acredito que poderiam ter caprichado mais nisso e espero que melhorem em atualizações futuras.

Ao colocar o celular para visualização na horizontal, melhora um pouco, mas ainda corta várias colunas da tabela.

Gostei da praticidade de poder investir e fazer consultas com mais agilidade, mas, em termos de usabilidade, acho o Portal do Tesouro mais amigável.

De qualquer maneira, foi uma boa iniciativa e esperamos novos ajustes!

2) Ampliação dos Horários para Resgate

Embora a alteração do Tesouro Direto em 2015 tenha trazido a liquidez diária para os investimentos (em vez de liquidez semanal), você só podia vender no horário entre 18h e 5h, o que poderia dificultar para investidores que só têm acesso à internet no horário comercial.

Agora, os resgates poderão ser feitos entre 9h30 e 5h, enquanto o horário entre 5h e 9h30 é destinado à manutenção do sistema, como já ocorria antes.

No entanto, isso trouxe uma outra alteração que pode não ser muito boa para os investidores.

As transações feitas nos horários entre 9h30 e 18h, nos dias úteis, serão processadas com os preços e taxas disponíveis no momento.

Já as compras e vendas realizadas das 18h às 5h ou em finais de semana e feriados poderão ser realizadas, mas serão liquidadas com os preços e taxas de abertura do próximo dia útil.

Ou seja, você for investir em um sábado e ver que o preço do título está em R$ 500,00. Porém, esse não será o preço correto. Na segunda-feira, pode abrir valendo R$ 510,00.

Na prática, para quem investe com regularidade e quantias não muito elevadas, essa alteração fará pouquíssima diferença.

O ideal é esperar a abertura para ver se ainda quer (ou pode) comprar/vender determinado título e saber exatamente os preços e taxas acordados.

Porém, quem não quiser ou não puder esperar, terá um título com uma pequena diferença no dia útil seguinte. Dificilmente, a oscilação trará grande vantagem ou desvantagem ao investidor, mas é algo importante para estar ciente.

3) Novos Avisos por SMS e E-mail

Aproveitando ainda mais o uso de smartphones, o Tesouro Direto criou também um serviço para envio de SMS.

Esses envios passarão informações sobre as operações, extratos e cobrança de taxas.

Para ativar essa função, basta acessar o app ou o Portal do Tesouro, acessar a seção “Dados cadastrais”, preencher o número do celular e marcar a caixa que autoriza o envio por SMS.

Depois disso, será enviado um SMS com o código de confirmação para você digitar.

Feito isso, já está habilitado para receber as novidades pelo celular.

Não tenho mais nada a comentar sobre isso no momento, pois o único SMS que recebi até agora foi esse com o código de confirmação, mas vamos analisando como funciona esse serviço e quem já tiver testado pode deixar um comentário.

Além do SMS, o Tesouro Direto divulgou que sempre comunicará por e-mail sobre o status de suas transações.

4) Novo Extrato

Na minha opinião, esta foi a alteração mais interessante porque o extrato, que já estava com excelentes informações, ficou ainda melhor!

Veja aqui o exemplo dos meus investimentos em uma corretora:

Você consegue encontrar essa tela no Portal do Tesouro ao acessar “Consultar” -> “Extrato consolidado” e depois clicar no “Extrato analítico” dentro da tabela com seus títulos.

Então, você chegará nesse extrato mais detalhado sobre cada compra.

No caso da imagem, são algumas compras que fiz em outubro e novembro de 2016 com o objetivo de especular, pois a expectativa era de queda nos juros (taxa Selic) e a vitória da Hillary Clinton nas eleições dos EUA.

Com a vitória de Donald Trump, as incertezas econômicas no mundo todo aumentaram e, mesmo com nossa taxa Selic sendo reduzida aos poucos, percebemos que as taxas dos títulos Tesouro IPCA+ e Tesouro Prefixado aumentaram e, consequentemente, os preços caíram.

Na primeira coluna da imagem, estão os valores que investi. Em cada linha, comprei o equivalente a 1 título. Ou seja, esses títulos, que custavam mais de R$ 1.000,00 quando comprei, hoje custam R$ 958,70.

Isso significa que a estratégia de especulação deu errado? Em partes.

Eu não esperava que as taxas dos títulos fossem subir novamente, então comecei a comprar em outubro para vender daqui uns 2 ou 3 anos com taxas bem mais baixas.

A parte boa no Tesouro Direto é que, mesmo não tendo acertado essa expectativa imediata, a tendência é que os juros voltem sim a cair nesse horizonte que planejei.

O que muda é que hoje podemos comprar esses mesmos títulos com taxas ainda melhores (e preços ainda menores), o que dará um lucro maior quando as taxas caírem.

E se tudo der errado e as taxas continuarem subindo, podemos segurar até o vencimento e garantir essa rentabilidade contratada, que ainda assim é muito boa, mais de 5% acima da inflação.

Agora, voltando à novidade no extrato do Tesouro Direto. A principal mudança foi naquela parte de “Rentabilidade bruta acumulada”.

Não existiam as colunas “Acumulada anualizada” e “Gráfico”. E essas colunas são muito interessantes para o investidor entender a marcação a mercado nos títulos.

Pegando o primeiro título da imagem como exemplo, a desvalorização que sofreu até agora equivaleria a um título de IPCA – 59,38% ao ano.

E o gráfico mostra exatamente as linhas de comparação entre a rentabilidade contratada e a acumulada:

Ao clicar no ícone do gráfico, vemos essa janela com informações bem simples e muito didáticas, que ajuda muito o investidor a ver exatamente como está seu investimento.

Além disso, reforça que, caso mantido o título até o vencimento, você receberá exatamente a rentabilidade contratada.

Voltando às informações da tabela, veja que as colunas de IR e IOF estão vazias.

Essa é uma dúvida muito comum de pessoas que acham que precisam pagar IR e IOF independentemente de qualquer coisa.

Não, esses impostos são cobrados somente em caso de lucro. Como aí tenho títulos com prejuízo, não há incidência dessas taxas.

Portanto, caso eu decidisse resgatar esses títulos, receberia o preço de mercado do título menos as taxas de custódia da Bovespa (e da corretora, caso aplicável).

Essa novidade achei muito legal, pois mostra realmente um raio X de cada um dos seus títulos.

5) Curso On-line Gratuito

Outra novidade para ajudar iniciantes no Tesouro Direto é esse curso on-line desenvolvido em parceria com a Escola de Administração Fazendária (Esaf).

Clicando aqui, você tem o manual com as instruções para fazer a inscrição no curso.

No entanto, as inscrições estão suspensas no momento, dizendo que as vagas já foram preenchidas.

Elas realmente esgotaram bem rápido, pois tentei no sábado à tarde e não consegui fazer a inscrição.

Quem conseguiu se inscrever deixe um comentário dizendo o que está achando do curso.

Os primeiros 1.000 inscritos também terão direito a um certificado oficial.

Infelizmente, não tenho muito a comentar sobre o curso em si, pois não consegui a inscrição, mas tenho certeza que ajudará muitos que estão começando nos investimentos.

6) Novos Vídeos Explicativos

Além do curso, o Tesouro Direto também disponibiliza vídeos avulsos gratuitos no site, que ajudam a entender como funciona o sistema.

Os novos vídeos dessa “segunda onda de melhorias” explicam sobre cada um dos títulos, de forma simples e didática.

Acesse a galeria de vídeos clicando aqui.

São vídeos muito interessantes e já servem como direcionamento para que você escolha qual o título mais adequado de acordo com os seus objetivos.

Informação Bônus

Aproveito também a oportunidade para falar sobre algo que não é uma novidade, mas que é muito importante e algumas pessoas esquecem (eu mesmo esqueço se não ficar com esse lembrete).

A taxa de custódia do Tesouro Direto, embora tenha taxa anual de 0,3%, é cobrada semestralmente no primeiro dia útil de janeiro e julho.

Essa taxa não é descontada do valor que você já tem investido, pois a rentabilidade dos títulos está atrelada ao preço deles, não em forma de rendimentos distribuídos na conta (exceto no caso dos títulos com pagamento de juros semestrais).

Portanto, você deve depositar o valor correspondente à custódia na conta da corretora custodiante de seus títulos.

Para saber quanto deve pagar a cada semestre, basta consultar no Portal do Tesouro:

Como essa taxa aumenta um pouco a cada dia, nunca transfira o valor exato. Deixe uma margem um pouco acima para poder realizar o pagamento com tranquilidade.

Para saber mais sobre como funcionam essas cobranças do Tesouro Direto, clique aqui.

Considerações Finais

O Tesouro Direto tem trabalhado para aprimorar suas funcionalidades e também para educar novos investidores e isso é algo muito bom para o mercado.

Espero que continuem melhorando a plataforma e os conteúdos divulgados para termos cada vez mais investidores confiantes para investir em títulos públicos.

Deixe um comentário dizendo o que você achou das novidades no Tesouro Direto!

Grande abraço!

Vitor Hernandes