COMO DEIXAR AS CONTAS EM DIA PARA VIVER SEM DÍVIDAS?

As dívidas são um grande problema para a nossa vida.

Há uma preocupação constante: ligações de cobrança, dificuldade em fazer novas compras, não dormir tranquilo à noite…

Se você está nessa situação, este texto é para você!

Aqui, listamos cinco dicas para você viver sem dívidas.

Existem alguns passos que, se analisados com cuidado, podem ajudá-lo a deixar as contas em dia.

Antes de tudo, porém, é importante destacarmos a importância do seu planejamento financeiro.

De nada adiantará quitar tudo agora para logo depois criar vários outros débitos.

Tenha em mente que você deve gastar sempre menos do que você ganha.

Com isso em mente, veja a seguir os 5 passos para deixar as contas em dia para uma vida financeira mais feliz.

Dinheiro, Finanças, Negócios, Sucesso, Câmbio

1) Conheça as suas finanças

Qualquer especialista em economia dirá: saiba o quanto você ganha e o quanto você gasta por mês.

Para ter controle da sua vida financeira, todo consumidor precisa saber o que faz com ela.

Por isso, coloque na ponta do lápis todas as informações: renda e despesas, mesmo as menores (como uma compra na padaria).

Com os dados em mãos, será muito mais simples verificar onde estão os exageros.

Assim, você poderá evitar novos abusos desse tipo e ainda conseguirá realizar o próximo passo.

2) Corte os gastos não essenciais

O passo dois para o pagamento das dívidas é cortar gastos.

Não significa que você tem que deixar de sair com os amigos, por exemplo.

Porém, também não precisa fazer um happy hour três vezes por semana…

É preciso eliminar da programação alguns gastos não essenciais.

Ao diminuir as suas despesas, o consumidor obtém o controle das finanças.

Algumas vezes, o corte dos supérfluos faz seu dinheiro sobrar.

Se isso acontecer, vale a pena analisar cada uma das suas dívidas e realizar o seu pagamento.

3) Pegue um empréstimo

Vamos imaginar que, mesmo com o passo anterior, você não conseguiu fazer o dinheiro sobrar.

Ou, então, a dívida é bem maior do que você pode pagar.

Nesses casos, pode ser uma boa alternativa pegar um empréstimo.

Em todo o caso, sempre tenha em mente que um empréstimo é uma nova dívida.

Ou seja, você pagará os valores em atraso, mas assumirá um novo compromisso de parcelamento.

Por isso, um empréstimo só vale a pena se o seu custo for menor do que a dívida.

Débitos de cartão de crédito, por exemplo, costumam ter altos juros.

Muitas vezes, até maiores do que os juros de um empréstimo.

Nessa situação, visitar o banco é a melhor solução.

Porém, sempre se lembre de avaliar o CET (Custo Efetivo Total) da operação.

O CET é a soma de todos os custos com um empréstimo ou financiamento.

Além dos juros, ele também inclui várias outras taxas.

O CET deve ser menor do que sua dívida atual.

Do contrário, a troca não será a melhor escolha.

4) Renegocie as dívidas

Antes de pagar as dívidas, renegocie-as.

É sempre uma ótima opção entrar em contato com a empresa e buscar a diminuição dos juros e/ou o reparcelamento do débito.

Assim, você pode diminuir seu custo total e ainda tornar as prestações mais baratas, facilitando seu pagamento.

5) Pesquise preços

Evite gastos exagerados.

Saia de casa com uma lista de compra, pesquise os produtos em várias lojas, em folhetos online, em aplicativos que compare o preço entre lojas, e principalmente, planeje como pagar cada item.

O melhor é fazer o pagamento à vista.

Se não for possível, estabeleça um limite para o cartão.

Assim, você terá menor chance de se “afundar” em débitos.

Agora que você já sabe como deixar as contas em dia, corra para realizar cada passo e elimine logo essa preocupação!

Jeniffer Elaina